Prefeitura de Pinda e Bombeiros debatem implantação de SAMU Municipal

Serviço seria operado na cidade através de atividade delegada




O prefeito de Pindamonhangaba, Isael Domingues (PR), se reuniu com o comandante do Corpo de Bombeiros da cidade, Capitão Paulo Roberto e Reis, na última segunda-feira (20), para debater a possibilidade da implantação de um SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) Municipal.

A intensão da Prefeitura é tenta implantar o serviço novamente na cidade através de Atividade Delegada, em que os policiais trabalham em seus dias de folga e são pagos pelo município. O Corpo de Bombeiros irá ceder profissionais e equipamentos para os serviços de emergência, com a proposta de aumentar o número de ambulâncias e reduzir os custos operacionais do serviço.

"
Neste momento em que estamos buscando soluções mais viáveis, essas parcerias são fundamentais. Ainda mais uma instituição como o Corpo de Bombeiros, que tem credibilidade e eficácia em suas funções", ressaltou o prefeito Isael.

Desde oficializar a saída do consórcio Cisamu (Consórcio Intermunicipal do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que administra o SAMU em 8 municípios da cidade e é presidido pelo prefeito de Taubaté Ortiz Junior (PSDB), Isael vem procurando alternativas para instalar o serviço dentro do orçamento do município. Na última semana, se reuniu com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, para buscar alternativas.

A cidade saiu oficialmente do Cisamu em 1º de março. O prefeito alegou que o financeiro pesou na decisão, já que a cidade deveria pagar mensalmente R$ 395 mil ao consórcio. Desde que começou a operar, em novembro de 2016, Pinda não pagou nenhuma parcela, gerando uma dívida de R$ 1,5 milhão.

Atendimentos
Atualmente, Pinda é atendida pelo serviço de emergência da Emercor, que atende a cidade desde junho de 2012, e da Clínica Médica Vale Guaratinguetá. Segundo informações da Prefeitura, no total, são três ambulâncias: uma ativa e uma reserva da Emercor e uma UTI da Clínica.

De acordo com números divulgados pelo Prefeitura, o Emercor atende 450 pessoas por mês em média, com investimento de R$ 125 mil. O serviço inclui médico e outros profissionais, na central de regulação, como enfermeiro e técnico de enfermagem. O atendimento é 24 horas, com telefonistas de emergência além da equipe de atendimento de Pinda, pelo telefone 192.



Veja também:
Pindamonhangaba confirma a saída do consórcio do SAMU
Isael se reúne com ministro da Saúde para negociar novo formato de SAMU