Fibromialgia: a dor física do trauma psicológico

Síndrome da Dor Generalizada é uma das possíveis consequências


Dor intensa pelo corpo, nas articulações, cefaleia, cansaço frequente, distúrbio do sono, tristeza, alterações intestinais, formigamento. Estes são alguns dos vários sintomas da fibromialgia.

A fibromialgia é uma doença que afeta toda a musculatura do corpo, causando dores intensas. Apesar de não existirem causas detectadas, muitos cientistas acreditam que pessoas portadoras da doença apresentam excesso de fibras nervosas sensoriais existentes nas palmas das mãos. Os fatores geradores podem ser diversos, assim como os sintomas.

Justamente por apresentar tantos sinais diferenciados, a fibromialgia é um desafio para a ciência e para a medicina. Mas que, em muitos casos, pode estar ligada a traumas psicológicos.

“A maior parte das reações do organismo perante alguma mudança relevante tem um princípio adaptativo de proteção à sobrevivência. E esta pode ser uma forma do corpo alertar que algo não vai bem com a mente”, afirma o psicólogo clínico e neurocientista, Julio Peres. O psicólogo é coordenador do curso “Trauma Psicológico: Diagnóstico e Tratamento” -, realizado pelo Laboratório de Neurociências do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, que será realizado em 23 de setembro.

Alguns pacientes relatam que a dor é tão intensa que não podem ser abraçados ou acariciados. Segundo Peres, as pessoas que sofrem traumas psicológicos podem apresentar sobreposição de sintomas. “No entanto, o subdiagnóstico e a desinformação sobre os efeitos do trauma psicológico no corpo podem agravar o sofrimento”, refere, lembrando que, apesar de a ansiedade estar presente em todos os seres humanos, alguns a manifestam com intensidade e duração exacerbadas, impedindo a continuidade equilibrada da vida.

Como não existem causas específicas, o tratamento é baseado em aliviar sintomas e melhorar o quadro para que a pessoa possa levar uma vida normal. Assim, medicamentos são sugeridos para controlar: problemas com o sono; a saúde emocional e físicas; o cansaço; a memória e as dores. Além disso, exercícios físicos e fisioterapias também podem ajudar na situação.

alimentação deve ser mais saudável e, algumas vezes, a procura de uma terapia deve ser aconselhada.

O importante é sempre buscar orientação de um médico e apresentar o seu quadro para que ele possa indicar a melhor maneira para o tratamento.

anuncio