Consumo diário de oleaginosas combate 8 doenças graves

Ingestão diária previne mortes prematuras por diabetes, doenças do coração e males do Alzheimer


O consumo de aproximadamente 30 gramas de castanhas, amêndoas, avelãs, pistaches e outras oleaginosas todos os dias ajuda a combater e prevenir oito doenças, entre elas as cardiovasculares, diabetes e  Alzheimer. Além disso, reduz em 22% a probabilidade de morte prematura por qualquer doença. A conclusão é de um estudo realizado pelo Imperial College London, da Inglaterra, e pela Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia. A pesquisa foi baseada em uma revisão de 29 estudos, totalizando mais de 819 mil pessoas avaliadas.

Segundo os autores, foi descoberta uma associação entre o consumo diário de 28 gramas de castanhas e nozes e a redução de risco de 21% para doença cardiovascular; 7% para derrame; 15% para câncer; 39% para mortalidade por doença respiratória; 52% para mortalidade por diabetes; 35% para mortalidade por males como Alzheimer; para 75% mortalidade por infecções, e 73% para mortalidade por problema renal.

Apesar das diferenças entre as doenças afetadas pelo consumo de oleaginosas, todas elas apresentam um componente comum, "a inflamação e a oxidação de moléculas no nosso organismo", explica a nutricionista Regiane Lopes, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), em Minas Gerais, em entrevista à revista Saúde.

A nutricionista conta que as oleaginosas reúnem gorduras insaturadas, proteínas, fibras e antioxidantes. "Também são fontes das vitaminas E e do complexo B e de minerais como zinco, potássio, manganês, ferro, cobre e selênio", completa.

Entre as variedades de nozes recomendadas para uma dieta saudável estão: castanha-do-pará, avelã, amendoim (fonte dos aminoácidos arginina e glutamina), pistache, macadâmia e castanha de caju.

anuncio