Governo inicia em Brasília a implantação das escolas Cívico-Militares

Meninos terão de usar o chamado "cabelo no padrão baixo", cortado com máquina dois, enquanto as meninas serão obrigadas ao uso do coque na rotina diária


Tem início nesta segunda-feira (11), em quatro escolas de Brasília, o projeto piloto da gestão compartilhada na sala de aula entre professor e policial militar. O projeto faz parte do programa SOS Segurança, em parceria com a Polícia Militar e será implantado no Centro Educacional 1 da Estrutural, CED 3 de Sobradinho, CED 308 do Recanto e CED 7 de Ceilândia.

De acordo com a portaria publicada no dia 31 de janeiro que trata da implementação do modelo, a primeira semana será de adaptação para escolas públicas cívico-militares do Distrito Federal. O chamado modelo de gestão compartilhada será adotado nas seguintes unidades: Centro Educacional (CED) 308 do Recanto das Emas, CED 7 de Ceilândia, CED 1 da Estrutural e CED 3 de Sobradinho.

A proposta do governo é que militares atuem na administração escolar e na disciplina de estudantes, enquanto os professores serão responsáveis pela parte pedagógica. O modelo é inspirado no estado de Goiás, que conta com 50 escolas como essas. O projeto incluirá estudantes do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio.

Os estudantes receberão orientações sobre a nova dinâmica da escola. Por três meses, eles não usarão farda, o uniforme das escolas militares, mas calça jeans, camiseta branca e tênis preto, de acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF).

Neste ano, o uniforme será gratuito, disse a capitão da PMDF Cristiane Caldeira, uma das responsáveis pela implantação do modelo de gestão cívico-militar nas escolas.. "Depois, aí sim, haverá uma formatura da entrega da boina, onde os estudantes recebem o enxoval deles, o uniforme militar, e passarão a usar esse uniforme".

Segundo a capitão, haverá um período para adaptação. "Eles [estudantes] passarão por um período de adaptação à mudança de rotina. Período para que os adolescentes possam entender a dinâmica pela qual a escola está passando e o corpo docente também".

Atividades - Na rotina dos estudantes haverá hasteamento de bandeira todos os dias cerca de 10 minutos antes do início da aula. Haverá aulas no contraturno, que serão opcionais, como atividades esportivas, musicais e aulas de ética e cidadania, na qual os alunos terão conceitos de direito, regras da escola, entre outras questões ligadas à vivência em sociedade e disciplina.

Em cada sala de aula, estará um responsável por fazer a chamada e apresentar a turma. Também anunciará o início e o final de cada disciplina, sempre pedindo permissão aos professores.

Aparência - Para as meninas, o coque será obrigatório na rotina diária, exceto paras as atividades esportivas, quando o penteado vai ser o rabo de cavalo. Os meninos terão de usar o chamado "cabelo no padrão baixo", cortado com máquina dois.

"No momento de adaptação, vamos orientá-los quanto a brincos, piercings, cor de unha e batom, maquiagem. Tudo será orientado para que não haja traumas", afirmou Cristiane Caldeira.

anuncio