População pode contribuir na elaboração do Plano Municipal de Patrimônio Histórico Cultural

O Grupo de Trabalho do Patrimônio organizado na forma de rede colaborativa, no qual instituições públicas, privadas e sociedade civil unem os dados, experiências e ideias para desenvolver um planejamento estratégico


O Plano de Patrimônio Histórico Cultural de Taubaté está em elaboração e será discutido com a população através de mesas redondas e outras atividades.

Nesta quarta-feira, dia 21 de agosto, às 18h30, será realizada a primeira mesa redonda no Museu Mazzaroppi, na estrada Amácio Mazzaroppi, 249, Itaim.

Participam desse encontro: André Bazzanella, da Casa do Patrimônio do Vale do Paraíba/Instituto de Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN-SP); Benedito A.R. de Melo, Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Taubaté (Unitau) e Nathália Novaes, funcionária da Secretaria de Turismo e Cultura e presidente do Conselho de Preservação do Patrimônio. A mediadora será Natália S. Recco, arquiteta da Secretaria de Planejamento de Taubaté. A população poderá fazer questionamentos ao final de cada discussão.

No dia 22 de agosto, às 17h, no Departamento de Arquitetura da Unitau, a mesa redonda Educação Patrimonial: Inventário e Cidadania, conta com a participação de Cláudio Marques (IPHAN-SP), Fernanda C. Vasconcellos, professora técnica da equipe de práticas pedagógicas da Secretaria de Educação, Ludmila P. Fuzzi, historiadora e professora; e mediação de Rachel Abdala, professora, doutora e pesquisadora da Unitau.

Uma visita guiada e uma roda de conversa acontecem no dia 24, sábado, às 9h, no Museu de Agricultura de Quiririm, com Ademir P. dos Santos, Carlos E. Mendonça, Cláudia Boal e Daniel Guinsburg; todos do Projeto PROAC - Museu da Agricultura.

O último encontro de agosto será no dia 30, às 10h, no Departamento de Arquitetura da Unitau, com uma mesa redonda sobre Inventário Cultural e participação de André Bazzanella, da Casa do Patrimônio do Vale do Paraíba/IPHAN-SP, Letícia Cursino, do grupo de Patrimônio e graduanda em Arquitetura e Urbanismo, e Maryclea C. M. Neves, do IPHAN-SP. Quem faz a mediação dessa conversa será Ademir P. dos Santos, da Arquitetura e Urbanismo da Unitau.

O Plano vai regulamentar temas como: meios de proteção do patrimônio cultural e ambiental, a reestruturação do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural, educação patrimonial, diretrizes sobre a propaganda e direito à paisagem, incentivos fiscais, sinalização dos bens tombados, entre outros. 

Para a elaboração da Política de Preservação do Patrimônio Cultural foi instituído o Grupo de Trabalho do Patrimônio organizado na forma de rede colaborativa, no qual instituições públicas, privadas e sociedade civil unem os dados, experiências e ideias para desenvolver um planejamento estratégico que supra as necessidades da cidade e do patrimônio cultural. O grupo conta com uma equipe interdisciplinar integrando as secretarias de Educação, Turismo e Cultura, Meio Ambiente, conselhos municipais, Instituições, com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN, Universidade de Taubaté, Faculdade Dehoniana e sociedade civil com arquitetos e urbanistas, historiadores, professores e representantes de movimentos sociais.

anuncio