Ubatuba: alunos começam a construir mais um satélite em parceria com o INPE



Alunos de uma escola de Ubatuba começaram  a desenvolver o projeto para a construção de mais um satélite em parceria com o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). O Projeto UBATUBASAT 2012 teve início na segunda-feira (13) na Escola Municipal Tancredo de Almeida Neves.

São 134 alunos na faixa de 10 a 12 anos, da 6ª série do 1º grau, que se inscreveram para participar e deverão receber treinamento por dois anos para a construção do satélite Tancredo II. O desenvolvimento é acompanhado pelo professor e coordenador do projeto, Candido de Moura que iniciou o projeto em 2009.

Tudo começou  quando Candido Moura  leu uma reportagem numa revista científica anunciando que a Interorbital, uma empresa americana, vendia kits educativos de satélites, os TubeSats. A partir daí, logo no início do ano letivo de 2010, o professor Cândido anunciou a ideia aos alunos, que logo concordaram em construir o satélite. Com a doação de uma empresa de Ubatuba foi possível efetuar a compra do kit do satélite, que custou U$ 8 mil.

Depois de concluído, o satélite será enviado para a Interorbital System, na Califórnia, que fará o lançamento a uma órbita de 300 quilômetros de altitude. O satélite deverá permanecer no espaço por no máximo 90 dias.

Em abril deste ano nove alunos e quatro professores da escola Tancredo Neves, de Ubatuba, que trabalhavam na construção do  satélite artificial, visitaram as instalações da empresa americana "Interorbital Systems", em Mojave e o "Laboratório de Propulsão a Jato (JPL)" da NASA, em Pasadena, ambos nos Estados Unidos.

O primeiro satélite

O Satélite ?Tancredo 1? pesa 750 gramas e tem 8,9 cm de diâmetro e 12,7 de altura. É composto de quatro placas de circuito impresso, uma delas com antena de recepção e transmissão, outra com controle de energia elétrica, outra com computador de bordo e a outra com transmissor/receptor.

Fonte: Prefeitura de Ubatuba




0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.