Em discurso relâmpago, Michel Temer nega renúncia

Ainda na manhã de hoje, um porta-voz da presencia atendeu repórteres dizendo que Temer estava ?firme?


Michel Temer continua sendo o presidente da República. Até o momento, o peemedebista resistiu às pressões que partiram até mesmo da base aliada e afirmou, em pronunciamento relâmpago em rede nacional, que não deixará o cargo de chefe de Estado. “Não renunciarei, repito, não renunciarei! Sei o que fiz e sei da correção dos meus atos. Exijo investigação plena e muito rápida, para os esclarecimentos ao povo brasileiro.”, disse ele, argumentando que não comprou o silêncio de ninguém.  

Ainda na manhã de hoje, um porta-voz da presencia atendeu repórteres dizendo que Temer estava “firme” e que tudo contra ele não passa de “conspiração”.

Temer falava das informações divulgadas na noite de ontem, que caiu como um meteoro sobre a política nacional. Em delação premiada às investigações da Operação Lava Jato, o empresário e sócio da JBS Joesley Batista, um dos maiores frigoríficos do país, entregou à Procuradoria Geral da República (PGR) um vídeo, gravado por ele, onde o presidente Michel Temer aparece autorizando a compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha.

Às 15h, o jornalista Ricardo Noblat havia antecipado em seu blog que Michel Temer tinha conversado com alguns ministros de Estado sobre sua decisão de renúncia.

Renúncias anteriores - Na história da política brasileira, cinco presidentes renunciaram ao cargo de chefe da nação:  Deodoro da Fonseca (1891), Getúlio Vargas (1945), Jânio Quadros (1961) e Fernando Collor de Mello (1992). É Michel Temer é o sexto a jogar a toalha.


0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.