Cabo Bruno é assassinado com mais de 15 tiros em Pindamonhangaba


Florisvaldo de Oliveira, o ex-detento Cabo Bruno, 53, foi morto na noite desta quinta-feira, em Pindamonhangaba quando chegava de um culto religioso.

Ele foi morto por dois homens que o alvejaram com mais de 15 tiros e as investigações preliminares já levam a uma possível execução. No local, foram encontradas 18 cápsulas, sendo 5 cápsulas de calibre 45 e 13 de calibre 380.

O delegado responsável pelo caso, Dr. Vicente Lagioto, falou a imprensa que a vítima não sofreu nenhum tipo de ameaça preliminar e que as investigação continuam. 

O homicídio ocorreu na Rua Álvaro Leme Celidônio, no bairro da Galega (Quadra Coberta).


Ex-policial militar, Cabo Bruno, como ficou conhecido no Brasil todo, estava preso desde 2002 na penitenciária Doutor José Augusto César Salgado em P2 (Tremembé), acusado de participar de um esquadrão da morte na periferia de São Paulo, onde se envolveu em mais de 50 homicídios.

Florisvaldo de Oliveira era atualmente evangélico. Cumpria 27 anos de uma condenação de 120 anos, mas ganhou indulto pleno. Foi detido pela primeira vez em São Paulo em 1983, quando foi expulso da Polícia Militar, mas chegou a fugir da cadeia em três oportunidades.

Segundo informações da 2ª PM de Polícia Militar, ele veio residir com sua família em Pindamonhangaba há cerca de um mês, logo apó receber o indulto no dia 23 de agosto. Esse indulto foi concedido em 2011 pela Presidente Dilma Roussef, e beneficia quem já cumpriu 20 anos de detenção e tenha registro de bom comportamento.

O corpo foi liberado pelo Instituto Medico Legal de Pindamonhangaba no fim da manhã e será velado no Velorio Municipal até às 16h e depois será levado para a capital paulista, onde será enterrado.



0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.