Primeira quinzena de março ainda reserva temporais para o Sudeste e Vale do Paraíba

Para a segunda quinzena de março, a previsão é de que ocorra uma mudança no padrão da circulação de ventos sobre o Brasil


O mês de março, tradicionalmente um mês chuvoso, deve ser uma continuidade de fevereiro, pelo menos em seus primeiros 15 dias, apontam os meteorologistas. O Brasil teve um fevereiro com chuva próxima ou acima da média na maioria das áreas das Regiões Sudeste e Sul, em Mato Grosso do Sul, no centro-sul de Goiás e em muitas áreas do Norte e do Nordeste.

O mês de março começou com Carnaval e mais problemas com temporais, mais especialmente na Região Sudeste e na faixa norte do Nordeste do Brasil, com registros de alagamentos, transbordamento de córregos e deslizamento de terra. É considerado o último mês do período chuvoso normal no Sudeste e Centro-Oeste, mas é o primeiro ou o segundo mês com maior média mensal de precipitação para muitas áreas do Norte e do Nordeste.

Segundo os meteorologistas do site Climatempo, a atmosfera ainda muito quente, uma das características climatológicas de março, continuará sendo observada no decorrer do mês, mas reforçada pela influência do fraco fenômeno El Niño que está em curso na porção central e leste do Pacífico Equatorial, ao largo da costa do Peru.

As condições de temperatura do Oceano Atlântico Sul, que está acima do normal em quase toda a costa leste do Brasil, combinada com a o Pacífico Equatorial centro-leste também mais aquecido do que a média, vai manter um padrão de circulação de ventos sobre o Brasil, em diversos níveis atmosféricos, muito parecido com o que se observou em fevereiro.

"A primeira quinzena de março será como uma continuidade de fevereiro", comenta Graziella Gonçalves, uma das responsáveis pelas análises e previsões climatológicas da Climatempo. "Em particular na Região Sudeste, estes temporais frequentes entre São Paulo, o centro-sul de Minas Gerais e no centro-sul do estado do Rio de Janeiro ainda devem se repetir em vários dias durante a primeira quinzena de março" prevê Graziella.

Já para a segunda quinzena de março, a previsão é de que ocorra uma mudança no padrão da circulação de ventos sobre o Brasil. "Este canal de umidade entre o Norte e o Sudeste do Brasil que observamos vários dias em fevereiro e ainda persiste nesta primeira quinzena de março vai ser quebrado, enfraquecido, na segunda quinzena do mês" prevê Graziella.

anuncio