Com apoio da Suzano, agricultores familiares do Vale do Paraíba (SP) se reinventaram e transformaram a vida no campo

Por meio do PDRT, pequenos produtores uniram conhecimento popular ao científico, migraram para o sistema agroecológico e passaram a movimentar cerca de R$ 500 mil ao ano


O PDRT (Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial) da Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, tem colaborado para transformar a agricultura familiar e a vida das famílias de pequenos produtores na região do Vale do Paraíba (SP).

Por meio do programa, que prevê consultoria especializada e acompanhamento desde o plantio até a comercialização dos alimentos; aquisição inicial de insumos e equipamentos para a modernização dos processos e implementação da produção de orgânicos e agroecológicos, agricultores familiares da região atingiram uma comercialização média de R$ 505 mil ao ano. O número expressivo foi identificado no último balanço, referente às movimentações comerciais realizadas em 2019.

A iniciativa visa a geração de emprego e renda no campo por meio do fortalecimento da cadeia produtiva e associações. Na região do Vale do Paraíba, são 52 famílias beneficiadas pelo programa, com atuação em cinco municípios (São Luiz do Paraitinga, Redenção da Serra, Santa Branca, Salesópolis e Guararema).

"O fortalecimento da agricultura familiar está diretamente conectado à nossa meta de longo prazo, que é de retirar 200 mil pessoas da linha da pobreza no País. Esta é uma meta bastante audaciosa e o PDRT, assim como outros programas de geração de emprego e renda, aparecem como carro-chefe para que possamos alcançá-la. Por meio do PDRT, nós entendemos a vocação daquela comunidade e trabalhamos em conjunto com essas comunidades para fazer daquela vocação uma fonte de geração de renda", destaca Israel Batista Gabriel, coordenador de Desenvolvimento Social da Suzano.

Certificação e comercialização

Para Israel, uma das principais conquistas do programa na região foi a certificação de orgânicos e agroecológicos. No Vale do Paraíba, há produtores certificados pela OSC (Organização de Controle Social), que permite o fornecimento dos alimentos orgânicos à programas como o PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) e restaurantes.

A certificação garantiu aos produtores a abertura de novos mercados. Com ela, os agricultores familiares conquistaram não só a valorização e reconhecimento da qualidade dos produtos como maior estabilidade financeira com a diversificação do mercado consumidor. Hoje, são três modalidades de venda trabalhadas pelos agricultores familiares: a direta, em que o produto é entregue nas mãos dos consumidores; por meio das políticas públicas de aquisição, como PNAE e PAA (Programa de Aquisição de Alimentos), e a comercialização no varejo para grandes fornecedoras. 

"Também temos uma quarta modalidade em que os produtores fornecem alimentos para o abastecimento dos restaurantes da Suzano. Hoje, em Jacareí, já existe essa parceria com o restaurante e a nossa expectativa é que até o próximo ano, 100% das nossas unidades sejam abastecidas com alimentos produzidos com apoio do PDRT. Com isso, vamos fechar o ciclo: a Suzano incentiva o agricultor familiar, o que movimenta a economia e, por sua vez, o alimento volta para a unidade, para atender a nossa demanda interna", completa Israel.

Está prevista para o início do próximo mês a realização da feirinha de orgânicos e agroecológicos na fábrica de Jacareí. O evento visa fomentar a importância da agricultura familiar e incentivar que colaboradores da Suzano a adquirirem as cestas agroecológicas dos produtores apoiados pelo PDRT.

Agroecológicos

De acordo com Jorge Martins, vice-presidente da Associação Minhoca "Parceiros Agroecológicos", a parceria com o PDRT permitiu aos agricultores familiares definirem o rumo que queriam para si e para suas propriedades. "A maior conquista para as famílias foi ter definido os objetivos de cada produtor e como alcançá-los. Por meio do PDRT, pudemos alinhar o conhecimento popular do campo com o conhecimento científico e o ponto chave dessa união foi a implantação do manejo agroecológico, que é uma das maiores colaborações do PDRT para a nossa região", destacou.

Além de trabalhar sem o uso de defensivos agrícolas em sua produção, o manejo agroecológico também está alinhado com os valores de sustentabilidade da empresa. Toda a produção é pensada e executada de forma sustentável, visando aproveitar tudo o que a terra tem a oferecer. Defensivos e adubos, por exemplo, são preparados com alimentos cultivados na propriedade.

Sistema delivery

O apoio do PDRT aos agricultores familiares não foi suspenso nem mesmo com a pandemia do novo coronavírus. Pelo contrário. Além de adaptar o serviço de consultoria para a modalidade remota, com o uso da internet, a Suzano também lançou a ação "A feira vai até você", com o objetivo de garantir renda aos agricultores familiares durante a crise.

O resultado da ação superou as expectativas. Entre os meses de maio e junho, foram comercializadas 1.156 cestas agroecológicas no interior paulista. O número corresponde a uma média de 144,5 cestas semanais, totalizando 6,3 toneladas alimentos comercializados. A ação gerou uma receita bruta de R$ 32,7 mil aos produtores nesses dois meses.

"O delivery serviu para apresentar os produtos agroecológicos para a comunidade. As pessoas estão tendo uma nova percepção sobre o consumo, vendo que comprar do agroecológico é apoiar quem está no campo. Elas estão tomando conhecimento que há o trabalho árduo de uma família para a produção e a conservação ambiental para que chegue até ela um produto saudável. Hoje, quem produz o que está na mesa do brasileiro é o agricultor familiar, é o pequeno produtor", ressalta Jorge.

anuncio