Setor de bens de capital mecânico atinge 7,5% de crescimento acumulado no ano

Segmento registrou crescimento na sua receita líquida de vendas, aponta Abimaq


A indústria brasileira de máquinas e equipamentos registrou crescimento no mês de maio na sua receita líquida de vendas, segundo informou a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos-ABIMAQ na tarde desta terça-feira (25).

De acordo com presidente da entidade, João Marchesan, o desempenho do setor de bens de capital mecânicos referente ao mês de maio em relação ao mês de abril apresentou crescimento de 4,7% e sobre o mesmo mês de 2018 de 15,1%. Esses resultados elevaram a taxa de crescimento acumulada no ano para 7,5%.

O desempenho de 2019 continua influenciado pelo mercado doméstico que registrou crescimento de 12%. "A perspectiva é positiva. Nos meses de maio e de junho, a indústria represou negócios e houve sim queda de faturamento. Mas estamos trabalhando com a ideia de recuperação, na faixa de 10%", destaca Marchesan.

Comportamento - A melhora no desempenho econômico no último semestre de 2018 propiciou aumento da confiança do setor produtivo e estimulou a realização de investimentos. Infelizmente, esse cenário mudou e os dados do PIB no primeiro trimestre deste ano mostraram nova desaceleração da economia e com ela o adiamento de investimentos.

Ainda que os números do setor de máquinas e equipamentos viessem acima daqueles observados no primeiro semestre de 2018, período cuja atividade foi influenciada pela paralisação dos caminhoneiros, há dúvidas que essa melhora seja mantida ao longo dos próximos meses. O que poderá nos levar a uma revisão das expectativas para este ano, até o momento estima da em crescimento de 5%.

Exportação - As exportações do mês de maio ficaram acima daquelas realizadas no mesmo mês de 2018, mas 6,1% abaixo das realizadas no mês de abril. Em 2018, as exportações de maio tiveram um forte recuou (40%) sobre abril - caíram de US$ 858 milhões para US$ 517 milhões - isso explica o crescimento da mesma ordem de grandeza em maio deste ano.
Em função disto, a taxa de queda acumulada em 2019 (jan/mai) em relação a 2018 diminuiu de 10,7% (até abril) para 3,6% (até maio).

Importação - No mês de maio, as importações cresceram em relação ao mês de abril ( 26,8%) e também na comparação com o mesmo mês de 2019 ( 40,5%). Houve aumento nas compras de máquinas e equipamentos importados por muitos setores da economia, mas há que se destacar o aumento (22%) na aquisição de componentes, bens utilizados, na sua maior parte, para reposição.

Com este aumento importante nas importações, o resultado acumulado no ano (jan/mai), voltou a registrar crescimento ( 6,6%) na comparação com o mesmo período de 2018.

728x90