Na Fiesp, ministro Tarcísio Freitas promete pedágio 20% mais barato na Via Dutra

Encontro reuniu prefeitos e empresários das regiões do Vale do Paraíba e Guarulhos


Ministro da Infraestrutura, Tarcísio FreitasMinistro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas (Foto : Divulgação / Fiesp)Tarcísio Freitas, ministro da Infraestrutura, participou nesta quinta-feira (13) de um encontro promovido na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo-Fiesp com prefeitos e empresários das regiões do Vale do Paraíba e Guarulhos. O tema do debate foi o modelo de concessão da Rodovia Presidente Dutra (BR-116), uma das principais ligações rodoviárias do país.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf destacou o trabalho que Tarcísio Gomes de Freitas vem desempenhando pela criação desse novo modelo de concessão e colocou a sede da Fiesp à disposição para debates prioritários para o futuro do país. De acordo com Freitas, o novo modelo de concessão pode resultar em uma tarifa de pedágio 20% mais barata na rodovia, principal ligação entre São Paulo e Rio de Janeiro.

"Há necessidade de fazer investimentos na Rio-Santos, mas não temos condições", admitiu o ministro. "O usuário da Dutra vai pagar pela Rio-Santos porque é a lógica distributiva. Uma concessão lá não fica de pé sozinha, e aquela é uma região que tem um enorme potencial turístico e econômico", acrescentou Tarcísio.

Com o atual contrato de administração da rodovia prestes a vencer, Tarcísio e sua equipe propuseram um novo projeto de concessão que deve amparar a Rodovia Rio-Santos e inaugurar o modelo de free flow no Brasil.

"Queremos oferecer uma rodovia com excelente nível de serviço e conciliar isso com a tarifa, e para isso, temos de chegar a uma equação que maximize os resultados", disse Tarcísio. "Quem optar pelo free flow vai pagar R$0,15 por quilômetro, ou seja, R$1,90 por todo o percurso, e vai levar apenas 18 minutos para chegar ao destino", explicou o Freitas.

Reclamações - Usuários que trafegam pela Via Dutra, principalmente a partir de Aparecida no sentido Rio, reclamam dos buracos na pista. Jeniffer de Souza Ramos faz sempre o percurso entre Roseira e Guaratinguetá e considera como descaso da concessionária, que segundo ela, só faz manutenção no trecho de Taubaté pra cima, sentido SP. "Hoje passei perto do trecho de Roseira, próximo à Polícia Rodoviária Federal, e como tem buracos naquele trajeto!", disse.

Inaugurada em 1951, a Via Dutra possui 402 km de extensão e cruza 34 municípios da região Sudeste.

anuncio