Acidentes de trânsito fatais registram queda de 28% em SP

Medidas de isolamento geraram circulação mais segura e liberação de leitos em hospitais


Por conta da restrição de circulação adotada em São Paulo como medida preventiva contra a COVID-19, o trânsito da cidade sofreu uma diminuição significativa, principalmente nas regiões centrais, onde está localizada grande parte do comércio e dos escritórios. Essa mudança de hábitos trouxe resultados positivos: a quantidade de acidentes letais com automóveis diminuiu 28% no mês de março se comparado a janeiro, e 9% ao comparar com fevereiro.

Esses dados, obtidos a partir do levantamento parcial da Central de Operações da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), explicam também outra vantagem que o isolamento social está trazendo para a luta contra o novo coronavírus no Brasil: a liberação de leitos de emergência.

Estima-se que, normalmente, 50% do espaço de socorro dos hospitais seja ocupado por vítimas de  acidentes de colisões nas ruas, avenidas e rodovias. Com a privação da saída para atividades de lazer e até mesmo a diminuição do consumo de bebidas alcoólicas, tanto leitos, quanto equipamentos e outros recursos hospitalares, podem ser mais intensamente direcionados a pacientes que apresentam quadros mais graves da COVID-19, além de diminuir aglomerações nos prontos-socorros e o risco de contaminação que há com a presença de pacientes acometidos por outros problemas dentro do hospital.

Mesmo com o aumento de óbitos decorrentes da pandemia, na última semana de março, o Serviço Funerário de São Paulo teve, em média, 250 sepultamentos por dia, quantidade similar a dos dois últimos meses. Isso sinaliza que houve a redução de mortes por outras causas, como crimes e acidentes.

Para que esses números sigam em redução é necessário que, além de atender às medidas de isolamento impostas pelo governo, os que tiverem necessidade de se locomover sigam rigorosamente as leis de trânsito, com o uso de cinto de segurança, equipamentos de proteção resistentes, como capacete ls2, respeito pelos limites de velocidade em qualquer tipo de via, uso correto do farol à noite e abstenção de bebidas antes de dirigir.

São Paulo tem 121 das 201 mortes causadas pela contaminação por Coronavírus registradas oficialmente no Brasil até dia 31 de março, sendo 79 dessas nos hospitais particulares Sancta Maggiore, rede especializada em idosos que foi fortemente atingida pela doença. Porém os cemitérios públicos da cidade registram cerca de 40 mortes suspeitas, mas sem confirmação, por conta da pouca disponibilidade de testes para a COVID-19.

anuncio