Gás de cozinha está mais caro nas distribuidoras a partir desta terça-feira

Governo decidiu encerrar de vez uma política criada em 2005, de subsídio à venda do gás de cozinha


Está em vigor nas distribuidoras desde a meia-noite desta terça-feira (22) o novo valor do gás de cozinha. O anúncio foi feito pelo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) em nota à imprensa e confirmado pela Petrobras. Dessa forma, o gás de cozinha residencial (GLP) aumentará 5%  e o GLP industrial e comercial 3%.

O governo do presidente Jair Bolsonaro  decidiu encerrar uma política criada em 2005, de subsídio à venda do gás de cozinha. Segundo o governo, 70% do gás comercializado no Brasil é do modelo de 13 kg, do tradicional botijão de gás de cozinha. Essa política foi criada no governo Lula para incentivar a compra pelas pessoas de baixa renda. A partir de março de 2020 essa nova política será permanente.

O governo quer forçar a concorrência entre as distribuidoras, tipo, importar gás de cozinha da Bolívia. Com isso, a política implantada pelo governo acredita que o preço do gás possa cair. Os aumentos são médias, pois o valor terá variação, para maior ou menor, dependendo da área de distribuição nacional, segundo o Sindigás.

Vale destacar, porém, que o preço para o consumidor final poderá ser diferente, pois as distribuidoras acrescem ao percentual de aumento os custos com mão de obra, logística, impostos e margem de lucro. Portanto, o impacto que ocorrerá no bolso do brasileiro ainda não pode ser medido.

"O Sindigás informa que suas empresas associadas foram comunicadas pela Petrobras, na tarde de hoje [21], sobre o aumento no preço do GLP residencial (embalagens de até 13kg) e empresarial (destinado a embalagens acima de 13 kg). O aumento passa a valer a partir de amanhã, dia 22 de outubro, nas unidades da petroleira. De acordo com as informações recebidas da Petrobras, o aumento do GLP residencial oscilará entre 4,8% e 5,3%, e o aumento do GLP empresarial entre 2,9% e 3,2%, dependendo do polo de suprimento", informou o Sindigás.

O último aumento de GLP praticado pela Petrobras foi no dia 5 de agosto.

Com informações da Agência Brasil

anuncio