Tradições de Pindamonhangaba contadas por nossos pais

Terra de filhos varões, altaneiro berço dos Barões do Café e dos membros ilustres da Guarda de Honra de D. Pedro I


Rua Deputado Claro César, centro de PindamonhangabaRua Deputado Claro Csar, centro de Pindamonhangaba (Foto : Reprodução)

Uma cidade canceriana, festeira e esportiva, que acolhe a todos como uma grande mãe! E, apesar dos problemas comuns a qualquer outra urbe, seus filhos tentam de forma apaixonada fazer dessa Pindamonhangaba o paraíso para se viver no Vale do Paraíba.

Claro que ainda há muito que se fazer, mas a 'Princesa do Norte' é relevante como um lugar ainda seguro para a família, para o bem estar e desponta como oásis de empreendedores. É tida por especialistas em desenvolvimento urbano como a ‘Cidade do Futuro’ no Vale do Paraíba, graça à sua estrutura, organização, tendências progressistas voltadas para o fortalecimento e constituição de uma grande metrópole.

Antes apresentava-se toda fragmentada, dividida em diversos núcleos habitacionais. Hoje,  quem chega à Pindamonhangaba percebe que o Araretama com seus 25 mil moradores, devido a novos empreendimentos no espaço antes vazio entre o bairro e a cidade, já está integrado ao núcleo urbano.

 A conurbação também pode ser vista no sentido Zona leste, com o surgimento de novos bairros que fazem a aproximação da Santa Cecília e Maricá com Cidade Nova, Jardim Eloyna e Feital. Logo mais, ou logo menos, um bloco urbano só.

Pelos lados do distrito, um número expressivo de novos investimentos, já anunciados para se instalarecem às margens da Rodovia Abel Fabrício Dia, praticamente unirá o núcleo central aos bairros do entorno de Moreira César. É o Plano Diretor que disciplina, mesmo que com certo atraso, o desenvolvimento da cidade como um todo.

Problemas existem, seja na Saúde ou na Promoção Social que pouco consegue fazer em prol do número cada vez maior de pessoas necessitadas, a maioria delas oriundas de outras localidades. Ainda falta emprego para uma população em crescimento enquanto o comércio procura se adequar aos novos tempos, enfim, as gerações se alternam e cada um deve fazer a sua parte!

O escritor Monteiro Lobato errou, como poucas vezes aconteceu, ao tratar-lhe como uma das ‘Cidades Mortas’ de sua literatura! A cidade não parou no tempo para ver passar o Príncipe Regente! Essa é a ‘Princesa do Norte’, terra de filhos varões, altaneiro berço dos Barões do Café, dos membros ilustres da Guarda de Honra de D. Pedro I.

É essa Pindamonhangaba que hoje completa 313 de Emancipação Política e muito envaidece sua população. Ser pindamonhangabense é, acima de tudo, ser um forte!

Ora Viva!!!