Polo econômico da região do Vale Histórico, Cruzeiro comemora 117 anos

Cruzeiro é conhecida como a Capital da Revolução Constitucionalista




Há cerca de uma década, caminhar por Cruzeiro era como flertar com o bucólico e o saudosismo, mas a Cidade Menina hoje é muito diferente. Antes nem havia ligação direta com a Via Dutra. Hoje, chega-se à cidade pela Rodovia Hamilton Vieira Mendes e quando o visitante vislumbra os primeiros aspectos da cidade, percebe de antemão os belos edifícios que brotam lá nos altos do Bairro dos Engenheiros, o preferido da construção civil.

O centro da cidade está mais vibrante e mais movimentado. Para os cruzeirenses, parece aquele conto de fadas em que a menina esteve adormecida durante longo tempo, até que despertou para o seu destino. Cruzeiro volta a ter uma economia pujante e seu comércio, atrativo para o entorno, confirma essa transformação. Vale lembrar que a cidade está na divisa entre três estados. Ela é vizinha de mineiros e sul-fluminenses, e representa um forte entreposto comercial e de serviços para as localidades próximas.

A comemoração dos seus 117 anos é ainda recheada de muitas histórias, muita beleza natural e pontos pitorescos como praças bem cuidadas, comércio ativo e povo descontraído! As histórias são contadas, principalmente, por aqueles que chegaram a presenciar as duras batalhas travadas nas trincheiras da guerra de 1932. Cruzeiro é conhecida como a Capital da Revolução Constitucionalista.

Ali, o cidadão já não vive o clima no futebol profissional no estádio Virgílio Antunes de Oliveira e nem o calor dos bailes do Cruzeiro e do Brasil FC dos anos 70 e 80. Não convive mais os românticos passeios de Maria Fumaça até São Lourenço. Mas a Cidade Menina tem tradição acadêmica e com isso, está garantida a efervescência cultural.

Hoje é dia de saudar os 80 mil moradores da cidade desenhada em meio aos montes quase sempre nublados da Serra da Mantiqueira! Parabéns simpático povo cruzeirense pelo seu aniversário!

anuncio