Gradiente deve tirar marca iPhone da Apple no Brasil




A Gradiente conta, em um vídeo publicado no YouTube, que fez a solicitação da patente no ano 2000, alegando que já vislumbrava um novo tipo de celular, mais integrado com a internet. Quando a Apple decidiu registrar a marca no Brasil, descobriu que a Gradiente já passara na sua frente.

Mesmo assim, a Apple pediu, em 2007, para fazer o registro da marca no Inpi. Afinal, a Gradiente estava envolvida em problemas financeiros e ainda não havia usado a marca em nenhum produto. Empresas que não o fazem em até 5 anos podem perder a exclusividade.

No entanto, no final do ano passado, a companhia brasileira já reestruturada lançou o seu iphone, uma família de smartphones de baixo custo voltado para classe C. Como não é possível ter dois registros no Brasil, a Apple deve ter seu pedido negado pelo Inpi, o que pode abrir espaço para Gradiente, hoje controlada pela IGB, entrar na justiça contra a Apple.

À época do lançamento da Gradiente, Eugênio Emílio Staub, presidente do conselho de administração e da diretoria da IGB, disse que a Gradiente adotará todas as medidas utilizadas por empresas de todo o mundo para assegurar a preservação de seus direitos de propriedade intelectual.


anuncio