Segundo Sol: astrônomos procuram aquilo que pode causar o fim da raça humana


Em todos os relatos, de todas as civilizações primordiais, há tradições sobre o fim dos tempos, uma espécie de aniquilação necessária da atual humanidade para a purificação do planeta. E os documentos milenares relatam que, de tempos em tempos, o planeta estremece em febre e elimina boa parte de suas bactérias com um calor fatal, abrindo feridas em toda a sua superfície.

Leia também:
Somos frutos de inseminação artificial na antiguidade?


Mas, para essa transformação que o mantém, o mundo contaria com um agente sideral que tem períodos de 6.660 (número da Besta?) anos para encontros com a Terra e já foi mencionado em todos os idiomas. Jesus o chamou de Abominação, enquanto Nostradamus a ele assim se referiu: Quando o sol ficar completamente eclipsado; O monstro será visto em pleno dia ...(Nostradamus, Cent.III, q.34) .


Para os Sumérios ele era Nibiru (Planeta da Cruz no Céu) e para os Babilônicos era Marduk, com sua coloração vermelha envolto em nuvens de gases e poeira, como se fosse um embrulho, uma esfera com asas.
Na Bíblia, o profeta Daniel, fala da 'grande estrela ardente',  e no Apocalipse, João escreveu sobre a visão de um a grande estrela, o grande rei do terror. O profeta  Ramatís pregava que ele é o planeta higienizador e Chico Xavier  o denominou  planeta chupão .
Os astrônomos o conhecem por  Planeta  X.

UM mundo que acaba em fogo

Todos nós já ouvimos esse papo : o mundo vai acabar em fogo! Nossos avós falavam, porque ouviram de seus avós, e esses dos seus. Mas o assunto agora tem repercussão mundial e o motivo é um só: algo em que muitos querem crer e acreditam, que a  National Aeronautics and Space Administration (NASA)  estaria escondendo dramáticas revelações, informação capaz de criar pânico generalizado em todas os povos.

Circula na Internet um vídeo onde a NASA teria realizado conferência em rede nacional para esclarecer sobre todo o mapeamento realizado com vistas à presença de asteroides e corpos celestes nos arredores e em rotas próximas da Terra.

O áudio traz um expectador que pergunta sobre aos boatos relativos à existência ou não do Planeta X, Nibiru, Hercólubus, ou seja lá o nome que querem dar a esse 'artista' sideral. Para espanto de todos, a cientista Amy Mainzer, porta-voz da NASA, não nega a existência do Planeta X, pelo contrario, confirma que a agência o está observando.

Em busca do Planeta X

No início da década de 80, cientistas observaram estranho desvio nas órbitas de alguns cometas em relação à suas rotas previstas. Essa suspeita pode ter sido confirmada em 1983, quando uma entrevista polêmica com Gerry Neugebauer, cientista chefe  do laboratório de  propulsão do IRAS, foi publicada no respeitável jornal Washington Post .
Neugebauer confirmou a suspeita dos pesquisadores: que as alterações orbitais  em planetas gigantes e desvio de órbitas de cometas tinham como motivo um desconhecido corpo espacial nos arredores do sistema solar .

Em 2009, a NASA  lançou  o super telescópio WISE, um rastreador em infravermelho. O telescópio está mapeando 99% do céu e já descobriu dezenas de novos cometas. Mas a sua missão pode mais específica, ou seja, descobrir a posição atual do Planeta X!

Além dele, vários telescópios foram construídos nos últimos cinco anos em vários locais do mundo, principalmente dois principais no Polo Sul. Há pouco tempo, a Nasa confirmou ter encontrado um grande planeta nos confins do sistema solar e o astro intruso teria até um nome entre os acadêmicos: Tyche! Logo em seguida, calaram-se sobre a notícia.

Até que ponto seria verdade que o IRAS (Infrared Astronomical Satellite (Satélite Astronômico de Infravermelho) teria encontrado em 1983 esse astro obscuro?  O cientista chefe do IRAS disse na entrevista:' Todos os governos sabem sobre isto e eles estão tomando providências para sobreviverem à passagem do Planeta X  que está vindo, para manter intactos seus poderes.'

Recentemente, um brasileiro ganhou espaço na mídia internacional por realizar nos anos 80 algumas descobertas sobre a possível existência do Planeta X.  O astrônomo Rodney Gomes, do Observatório Nacional do Brasil teve publicada uma entrevista publica no jornal inglês Daily Mail, quando sugeriu que além e Netuno, pequenos corpos estão apresentando órbitas irregulares suspeitas.

Gomes mapeou e mediu as órbitas de quase 100 desses planetoides do cinturão de Kuiper e afirmou que seis deles parecem estar sendo arrastados do curso de suas órbitas normais, o que o leva a crer que há nas adjacências um corpo de grandes proporções muito próximo e grande o bastante para influenciar com seu magnetismo e alterar a posição dos corpos nas proximidades.

O segundo Sol

O Sol tem um irmão gêmeo? Uma estrela companheira que periodicamente dá o ar da graça? Se isso for verdade, vamos ser claros, não vai ter muita graça, ao contrário! E quem é ele que está dando o que falar nas redes sociais.  Em todo o mundo, vídeos são postados diariamente, informando anomalias no espaço e mostrando a suposta presença de um estanho astro no céu que só pode ser detectado no espectro de infravermelho.. É a Besta do Apocalipse? É o hipotético Planeta X ?

Quando vem a tona o nome do Planeta X, vale lembrar que desde o Século XIX , astrônomos vêm procurando provar sua existência. Primeiramente, observaram anomalias orbitais em Urano, algo que só poderia ter como causa a proximidade de um astro de grande massa. E foi assim que Netuno foi descoberto!

Com o tempo, observando oscilações em Netuno, verificou-se que o gigante gasoso também registrava anomalias. Foi assim que  a astronomia descobriu a presença de Plutão. Mas esse, no entanto não apresentava massa capaz de perturbar a órbita dos grandes planetas mais próximos. Só mesmo algo, de grandes proporções,  além do Cinturão de Kuiper  e da Nuvem de Oort poderia causar esses distúrbios.

O suposto astro está presente na previsão de todos os profetas e místicos de credibilidade  e civilizações fantásticas da antiguidade. É quase um assunto proibido nas cúpulas  científicas e motivo principal de controvérsias e ironias. Mas está lá aterrorizante, presente nos relatos de muitas civilizações .

Sistema Binário

Cientistas dos Estados Unidos vem propondo essa teoria desde 1980: a de que pode existir um sol no nosso sistema solar. Foi  batizado de Nêmesis, e seria uma espécie de irmã distante da nossa estrela central.  Ele está na música de Nando reis, e na voz de Kássia Eller . Está na Bíblia (Mateus cap. 24), (Joel 2:10) e em quase todo o livro do Apocalipse.

O falecido astrônomo Carl Seagan acreditava que em sua grande maioria, os sistemas solares são binários e quase todas estrelas são membros de um sistema de duplos ou múltiplos sóis. Em seu livro 'O Cometa' publicado em 1985, Seagan aventou a possiblidade de o nosso Sol ter uma companheira invisível, uma espécie de anã marron. "A maior parte das estrelas do céu são membros da dupla ou múltipla estrelas sistemas (...)  Em alguns casos, vemos duas estrelas gravitacionalmente vinculadas uma  a outra. Pelo menos 15 por cento das estrelas no céu parecem ter uma estrela companheira .", diz um texto do livro.

Para Seagan, são astros secundários que têm pouca luz . As 'brown dwarf star'  (Anãs Marrons ou castanhas) são astros quase obscuros porque não se tornaram incandescentes, não deram início à fusão do hidrogênio. A explicação é que elas muitas vezes passam desapercebidas dos pesquisadores e só podem ser descobertas devido à influência orbital que alteram a posição de outros corpos no espaço.

Mas, para grande parte dos astrofísicos, quanto a esse suposto segundo Sol, só mesmo sua existência pode representar a resposta às periódicas extinções em massa que o planeta já registrou em sua existência.

Se ele existe ou não, cabe aos pesquisadores sérios responderem! Antes que os artigos sem fundamentação científica postados em redes sociais espalhem histeria!




anuncio