Quem eram os Reis Magos? Astrólogos iniciados nos mistérios da humanidade?


Existiram os misteriosos três reis magos? Parte da igreja católica diz que eles são apenas uma simbologia. Os Reis Magos só foram reconhecidos pela igreja cerca de 800 anos após o nascimento de Jesus, inclusive seus respectivos nomes e procedências. Hoje, a tradição do presépio é sufocada pelo consumismo da árvore de natal com seus presentes.

Dentro da própria igreja católica, admite-se que os Reis Magos não tenham existido e sua presença no Evangelho é mera simbologia, pelo fato de que não existem documentos da época que possam comprovar essa passagem.



Controversa também é a 'inteligente' estrela de Belem que, de acordo com os relatos, seguia e parava para indicar o caminho da manjedoura

Personagens misteriosos são os três Reis Magos que surgiram, segundo a tradição religiosa, diante da manjedoura onde estava o recém-nascido Menino Jesus. Citados apenas no Evangelho de Mateus, os reis peregrinos estão em 12 versículos e a história permaneceu até os dias atuais.

Mas o que pensam os historiadores e pesquisadores? Para boa parte dos estudiosos, não há evidências históricas sobre a existência dos Reis Magos. Dessa forma, os reis peregrinos poderiam ter sido parte de um artifício para confirmar uma profecia: "E todos os reis se inclinarão ante Ele".


Simbologia dos presentes

O apóstolo Mateus cita que no tempo do rei Herodes, três reis teriam vindo do Oriente, guiados por uma estrela que lhes teria mostrado o caminho e o local do nascimento, cada um trouxe um presente para ofertar ao Menino Jesus. Mas foi só depois, cerca de 800 anos após o nascimento de Jesus, que os reis ganharam nome e procedência:

Melchior, um rei ancião, veio da Pérsia e trouxe ouro de Ofir para homenagear um Rei. Sua simbologia reflete a saudação a um rei iluminado que nasceu para instalar seu reino de luz sobre a terra. Caracteriza a eternidade do Menino Deus. Gaspar, um jovem rei branco, veio da Índia e trouxe incenso para um Deus. O incenso tem a propriedade dos aromas que impregnam as vestes de perfume, e exorta ao cumprimento das leis espirituais da novo reino. Baltazar, negro e barbudo, era rei da Arábia e trouxe mirra para o Homem. A mirra é um líquido amargo proveniente de um arbusto de espinhos. É usada como anestésico, prenunciando os sofrimentos físicos daquele que veio pela redenção da raça humana.

Versões polêmicas

A estrela de Belém é outra controvérsia. Em determinado momento, uma estrela que se mostrava 'inteligente' indicaria a probabilidade de se tratar de um corpo celeste dirigido. Em outras versões menos polêmicas, astrólogos relatam que na época aconteceu uma rara conjunção de astros, quando se alinharam os planetas Vênus, Júpiter e Saturno. Também a ciência alega a probabilidade de que tenha sido a passagem dos cometas Halley ou Hale-Bopp.

O que é mais surpreendente, no entanto, é a versão de J.J. Benitez que, contrariando mais uma vez os escritos canônicos, afirma que os Reis Magos existiram sim, mas não eram somente reis. Para Benitez, tratava-se de iniciados em conhecimentos universais e que já vinham acompanhando os sinais da vinda de um Grande Ser, de outra dimensão para trazer o seu 'Reino' (ensinamentos espirituais do seu mundo) para a Terra.

O jornalista espanhol defende a tese de que Jesus nada mais era uma personalidade de um mundo extraterreno e não apenas conceitual, mas físico e vivendo etapas evolutivas. Seriam os misteriosos Reis Magos viajantes vindos de uma outra dimensão espaço-tempo? Quem tem a verdade?

728x90