Somos pessoas com raízes


Na sua última Exortação Apostólica, intitulada “Cristo vive”, o Papa Francisco, dirigindo-se aos jovens, após apresentar o tema à luz da Palavra de Deus, provoca-os a não deixar que a própria juventude seja uma promoção da vida de maneira superficial, confundindo beleza com aparência.

Hoje vivemos a cultura do descartável, onde o culto ao corpo ganha destaque, onde as aparências se sobrepõem ao que seja o real. Vivemos de belezas externas, atitudes impulsivas e perdemos o que havia de mais profundo, as nossas raízes.

A vida humana é bela porque contempla uma história, feita de raízes. Como é bom parar, vez outra, e buscar no enredo de nossas vidas, histórias bem construídas, fatos concretos de tempos idos, lembranças sepultadas em nossas mentes, para sempre nos fazer recordar que tudo o que somos, tem uma raiz bem fecundada.

Reinventar a vida é a oportunidade que todos os dias Deus nos dá. Cada um, buscando fazer bem o seu dever de casa, dará vida nova ao universo que nos cerca. É no dia a dia, esse tão belo “tabernáculo” da nossa fé, percorrendo as vielas mais comuns, com pessoas comuns e problemas comuns, que poderemos compreender aquilo que é eterno.

Cada um é livre para amar ou para destruir, para dar uma chance ou romper pontes, para sorrir ou para fazer chorar. Podemos ser a sociedade dos que excluem ou a antecipação do paraíso. A escolha está em nossa forma de iniciar cada dia de nossas vidas. O que você quer ser hoje? Como reagir diante de pessoas ou situações que ainda insistem em violar a vida? Reagimos de igual para igual ou entendemos ser a oportunidade certa para oferecer um pouco mais de cristianismo no mundo?

Diz uma antiga canção: “O coração tem razões que a própria razão desconhece”.

anuncio