Evangelizar sempre!

Os males do nosso mundo ? e os da Igreja ? não deveriam servir de desculpa para reduzir a nossa entrega e o nosso ardor.


Bíblia abertaBíblia aberta "Os males do nosso mundo?  e os da Igreja?  não deveriam servir de desculpa para reduzir a nossa entrega e o nosso ardor" (EG, 84). Com essas palavras, o Papa Francisco escreve na Evangelii Gaudium sobre o pessimismo estéril que muitas vezes quer desanimar a força da evangelização. Diz ele: ?Não deixemos que nos roubem a alegria da evangelização!?.

Eis o grande desafio para todos nós, sermos portadores da esperança e da alegria própria do Evangelho, própria de quem se deixou ser seduzido pelas palavras de Jesus e se dispôs, livremente, a segui-Lo.

Somos fortemente desiludidos com a realidade que vivemos; desiludimo-nos com a Igreja, perdemos o ritmo diante de algum desafio da convivência humana, sempre inclinada às suas vaidades e que ferem a harmonia dos relacionamentos.

É preciso evangelizar sempre! Mas, como haurir essa força que nos dispõe a sair de nós mesmos e traduzir em atitudes as palavras e os ensinamentos de Jesus? É necessário, sempre, um tempo de maior recolhimento com o Senhor, abastecer-se da sua presença que nos fortalece, nos inspira e nos reanima sempre. É o ?poço? que nos espera para oferecer sempre a ?água viva?.

Queremos chegar a resultados imediatos e, muitas vezes, somos impacientes com tudo o que possa ser um obstáculo. Somos cercados pelas criticas, acusações, incompreensões e tudo isso vai minando nossa disposição na grande missão de levar a Palavra de Deus a todos os corações.

Deixemo-nos sempre ser encontrados pelo Senhor! Reserve um momento precioso de seu dia para esse encontro. É o maior e melhor investimento que fazemos em nós mesmos. Não deixemos que a agitação dos nossos empenhos ou compromissos roubem a ?seiva? que nos fará sempre mais fortes! 

 


0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.