Cristo nos deu Sua Mãe

Maria é um exemplo de humildade, de servidão e de obediência ao Pai.


No momento da Cruz, em meio a expectativa do abandono e da dor, Jesus tem um gesto que demonstra Seu cuidado para com os Apóstolos e deles, para conosco, ao nos dar Maria como nossa Mãe.

               Recorda-nos o Evangelho, que o discípulo leva Maria para a casa e nesse gesto, todos somos acolhidos pelo Seu amor de Mãe. Como é importante, para nós católicos, venerar no grande mistério de amor de Nosso Senhor Jesus Cristo, Aquela que Deus escolheu para ser Sua Mãe. Temos um Deus que é amoroso, próximo, que desejou nascer de mulher e, dessa forma, acompanhando o caminho de Cristo por Israel, percebemos a discreta presença daquela que, sendo Mãe, tornou-se também discípula do Senhor.

               Maria é um exemplo de humildade, de servidão, de obediência ao Pai, de fiel seguidora de Cristo, de mulher silenciosa e contemplativa e de mulher forte, que esteve de pé, diante da Cruz, abraçando-nos a todos.

               No anúncio do Anjo Gabriel, Maria reconhece o nosso Deus como o Deus do impossível, exatamente por ter vivenciando esse grande mistério da encarnação de Jesus. Como ser mãe se ela ainda não viveu uma íntima experiência de amor com aquele a quem estava prometida em casamento? Eis o impossível de Deus!

               Aqui entendemos o quanto Maria meditava muito dos ensinamentos de Jesus em seu coração e o gesto que impulsionou o primeiro milagre em Caná, na Galileia, quando sensibilizada numa festa de casamento, presenciou a transformação da água em vinho.

               Essa é a Mãe de Deus, que nós veneramos como nossa Mãe. A mulher de mil nomes, que em muitos lugares, manifestou a sua presença junto do povo sofrido e humilde, aproximando-nos do amor do seu próprio Filho.

               Debaixo de Vossa proteção nos refugiamos, ó Santa Mãe de Deus! Protege-nos, guia-nos, guarda-nos de todo o mal.

anuncio