Buscando o ser interior

Quando foi a última vez que você visitou o seu interior?


Em tempos onde se valorizam tanto a exterioridade da vida, onde o culto ao corpo está em alta, onde as posturas humanas vacilam tanto, falar de vida interior parece mesmo um contrassenso.

                Observando, mais atentamente, o mundo ao meu redor, no convívio com o meio social, nos ambientes das redes sociais, percebo o quanto a raça humana vem se tornando vulgar e desorientada. Vivemos agitados com atividades inúteis e tudo isso faz o ser humano se tornar inquieto, complicado, intolerante.

                O grande desafio é fazer o que precisamos, calmamente e sem agitação, buscando em meio ao caos, um ponto de equilíbrio ou um porto seguro, que podemos chamar de paz interior. Descobrir, em tempo, que somos capazes de retomar uma postura menos agitada, pacífica e mais silenciosa é algo que deveria ser prioridade em nossas vidas.

                Não se trata de um saudosismo, mas de um resgate de valores que permite a pessoa viver com mais serenidade e experimentar mais intensamente valores tão especiais da vida. Passamos o nosso dia presos num relógio e numa agenda, atropelando os nossos compromissos e correndo de um lado para o outro, sem nos preocuparmos com o que de mais sagrado temos: nós mesmos!

                Quando foi a última vez que você visitou o seu interior? Como hoje você se enxerga como ser humano? Quais valores você cultiva na sua vida? Interrogações assim podem nos ajudar a redefinir melhor a pessoa que queremos e devemos ser!

                Lembre-se: o mundo pode ser melhor a partir do que você escolhe como valor!

anuncio