Como reconhecer a velha tática da candidatura patrocinada pelo concorrente

Nos debates, parece dupla de área: um rola bola macia e o outro enche o pé no ângulo


"Na hora que a barata voa é que a gente vê quem é que sobe na cadeira!"

Diálogo entre velhas raposas
_ Quer participar do Movimento Contra a Corrupção que estamos organizando?
_ Por que não? Quanto eu levo nisso?

Candidaturas patrocinadas
Diz a lenda que a política brasileira pura é como experiência genética: sempre que necessário, cruzam uma cabra com um periscópio pra que nasça um bode expiatório.
Na edição de hoje vamos falar de "candidaturas patrocinadas" pelo partido concorrente, aquelas em que o candidato sem recursos é bancado por um grupo mais estruturado só pra tirar votos de um outro competidor na corrida eleitoral. Pega fogo cabaré! hehe

Quanto custa um vereador?
A Câmara de São José dos Campos é a que paga o maior salário para vereador, R$ 10,173. Ubatuba paga atualmente R$ 10.128,80 por cada parlamentar; Pindamonhangaba paga subsídios de R$ 9.605,83; Guaratinguetá remunera cada vereador atualmente com R$ 8.553,83, mas deve passar a pagar um subsídio de R$ 11.462,95 a partir de janeiro de 2021; Cruzeiro paga para seus edis R$ 5.931,38 mensais e; Lorena paga R$ 5.481,82 por mês a cada vereador.

Clareia, por favor!
Clientes da Claro/Net sempre reclamam da dificuldade que encontram no atendimento eletrônico. Têm que passar por várias opções até que o sistema os levem ao atendimento desejado e perde-se um tempo enorme nisso. Mas, o pior acontece quando o cliente quer cancelar um serviço ou o pacote todo. Depois da demora de passar pelo sistema, é atendido por uma telefonista que ainda vai abrir o cadastro, questionar o porquê do cancelamento e, como um golpe final, passa para outro atendente. Após alguns minutos, o telefone fica mudo...

Mas, Claro??!
E daí, hehe... Aconteceu o inusitado com esse que vos escreve. Pedi a troca do número do meu telefone residencial. Escolhi um número de fácil assimilação, coisa e tal, e fiquei sussa. Mas, não é que os atendentes da Claro tiveram "habilidade" de abrir o cadastro do meu irmão Josimar Barbosa e trocar o número dele, com aquele que eu pedi?  hehehehehehe
Caio na gargalhada pra não virar miliciano!

Não foi legal!
A semana começou quente em Pindamonhangaba, com o anúncio do governo estadual que determinou o fechamento do Instituto Médico Legal (IML) de Pindamonhangaba. O prefeito Isael ficou "pistola" e disse que vai tentar demovê-lo dessa idéia. Nas redes sociais, o ex-comissionado da gestão passada Gustavo Tótaro comentou que o prefeito e também os vereadores de Pindamonhangaba dormiram no ponto nessa história que culmina com o IML saindo de Pindamonhangaba.

Gustavo Tótaro prefeiturável?
Em uma das emissoras de Pindamonhangaba, os ouvintes foram surpreendidos com o jovem Gustavo Tótaro se apresentando como pré-candidato a prefeito. Claro que eu entrei rapidamente em contato e ele confirmou! Ele diz que é pré-candidato pelo PMN e traz como vice o servidor público estadual Fabrício Jesus.

E o PT?
Sinceramente, não acredito que, em Pinda,  o ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos Herivelto Vela deva sair a prefeito. Mais fácil ele buscar a vereança e assim preencher uma vaga que o PT não consegue desde as eleições de 2008.O burburinho político trouxe até meus ouvidos o nome de outro jovem: Eduardo Kogempa. Em contato com ele, Dú me explicou que o partido tem três nomes para uma provável candidatura: o próprio Du Kogempa , Herivelto Vela e Cinthia Muniz. Alías, Kogempa não acredita em terceira via, tendo em vista as últimas eleições com polarização.

Falando em polarizações
Também não acredito em terceira via em Pindamonhangaba. Basta buscar o histórico das polarizações nas eleições para prefeito na cidade. Então vejamos: 1976 (Alckmin x Paulo de Andrade), 1982 (João Bosco x Paulo de Andrade), 1988 (Vito x Paulo de Andrade), 1992 (Chesco x João Bosco), 1996 (Vito x Betoni), 2000 (Vito x João Ribeiro), 2004 (João Ribeiro x Torino), 2008 (João Ribeiro x Vito), 2012 (Vito x Torino) e 2016 (Isael x Vito).

Cidade dengosa
A prática do jornalismo sério, no nosso caso, já tem uma trajetória de três décadas. Quando perguntamos para diretor da Vigilância Epidemiológica de Pindamonhangaba, Rafael Lamana, sobre a volta do programa Pega-Tudo (Cata-Treco), ele disse que não retornaria. Também o prefeito Isael nos disse em entrevista que o descarte por parte da população havia sido desvirtuado, tendo em vista que o povo joga nas ruas não só o lixo, mato e entulho que podem ser recolhidos, mas também móveis velhos que não há como o município descartar.

Ano chuvoso!
Muito bem! As previsões de dezembro alertavam sobre um verão altamente chuvoso e agora tem uma legião insuflada pelos opositores que culpa nas redes sociais o município pelo aumento dos casos de dengue e pela retirada do Pega-Tudo. Isso já era de se esperar, afinal estamos em ano de eleições.
Minha modesta opinião: erro da população que não se preocupa com os riscos à sua própria saúde e erro estratégico do Poder Público. Quem avisa amigo é!

Patrocínio de candidaturas I
Não só os "observatórios", mas também os conhecedores do jogo político sabem de uma tática antiga que é a aquela história de um candidato forte patrocinar candidaturas concorrentes no Executivo. Acontece em qualquer cidade. Em  Pindamonhangaba nas eleições 2012, meu amigo Gugu Melo foi candidato a prefeito. De início não entendi, pois ele poderia tentar primeiro o Legislativo, visto que, inteligente e conhecidíssimo na cidade, teria maiores chances.

Patrocínio de candidaturas II
Gugu foi para o front e a cidade inteira percebeu a produção profissional do programa dele. Obviamente, a desconfiança foi geral sobre sua campanha estar sendo incentivada pelo então candidato tucano Vito Ardito (hoje no PP). Foi na época uma união entre PSDB e PT que eu só não considerava absurda porque conheço o perfil de Vitão: ele é um progressista.
Nos debates, Gugu passava pano na 'caruda' para Vitão e sentava o dedo no candidato Paulo Torino, a quem chamava de "Torininho". Em outras palavras, seria como ter o Cabo Daciolo debatendo com o Capitão Bolsonaro. hehehe

Patrocínio de candidaturas III
Nos bastidores da Prefeitura de Pindamonhangaba comenta se que desta vez o ex-prefeito Vitão estaria incentivando duas candidaturas de ex comissionados de sua gestão. Gustavo Tótaro, seu fiel escudeiro nas redes sociais, e Eduardo Kogempa outro soldado nas redes sociais que foi indicado para ser candidato pelo PT.

Negaram!
Aqui a gente não deixa o leitor no vácuo! Liguei para os dois, amigos já de algum tempo, e claro, ambos negaram qualquer tipo de apoio do ex-prefeito. Como eu disse lá em cima, uma coisa é pública e notória: Vitão sempre teve boas relações como o PT. Em 2020, a aliança Vitão e PT tem se mostrado cada vez mais forte e a cidade percebe isso nos programas da emissora que é de propriedade do ex-prefeito.

Dupa VV
Vela (que na verdade deverá mesmo ser candidato a vereador) e Vitão demonstram ter combinado as pautas de abordagens, algo muito usado em debates políticos. Um entrevista o outro, fazem aquele toque de bola como uma dupla de área. Um rola bola macia e o outro enche o pé no ângulo. Coisa linda!
De ouvido na emissora - que aliás, eu gosto por sua programação eclética - a dupla VV (Vitão e Vela) exaltou a ex-presidenta de Tia Dilma, pelas obras que o PT viabilizou para Vito na última gestão.


Vou indo! Quando voltar, estarei de volta!