Sai de baixo que a casa está caindo !


?Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.?
(Voltaire)

E o homem não caiu!
Foram 13 horas cansativas, principalmente a leitura de todo o processual, até que aconteceu a votação pela cassação do prefeito de Taubaté, Roberto Pereira Peixoto, isso já por volta das 02h00 deste sábado. Peixoto é acusado de mau uso do dinheiro público ao contratar em 2008, sem licitação, uma empresa para fornecimento de remédios. O prefeito alegou que era caso emergencial.

Eram favas contadas
O bicho pegou, teve vereador discutindo com lideranças da ONG Transparência Taubaté, que foi o caso de Rodson Lima.
Estávamos nos corredores do prédio, conversando com vários amigos, entre eles, o jornalista Djalma Castro - que já foi vereador e presidente da Casa. De repente, chega o vereador Luizinho da Farmácia, líder do prefeito na Câmara, e garantiu que já tinha os seis votos de apoio à continuidade de Peixoto.
Para que houvesse a cassação, seriam necessários dois terços dos votos, ou seja, 10.

Quem foi Sim e quem foi Não?
Dos 14 votantes, 8 votos foram pela cassação do prefeito, enquanto os 6 que comentamos no tópico anterior garantiram a permanência de Peixoto. 

Disseram SIM!
Alexandre Villela (PMDB)
Diego Fonseca suplente de Carlos Peixoto (PMDB)
Maria das Graças (PSB)
Mário Ortiz (DEM)
Orestes Vanone (PSDB)
Pollyana Gama (PPS)
Regino Justo suplente de Jeferson Campos (PV)
Rodrigo Luis Silva "Digão" (PSDB)

Disseram NÃO
Ary Filho (PTB)
Chico Saad (PMDB)
Henrique Nunes (PV)
Luizinho da Farmácia (PR)
Maria Teresa (PSC)
Rodson Lima (PP)

Vereadores comem na ?mão? de Peixoto
Nas ruas de Taubaté, a panfletagem comeu solta, principalmente com o pessoal do partido PSOL. Um dos comentários dizia que os vereadores que julgam o prefeito devem favores a ele, por exemplo, parentes contratados em cargos na Prefeitura.
Para os manifestantes, os vereadores de Taubaté têm medo da população, prova disso, foi a mudança de sessões ordinárias para período a tarde, vidros blindados na plenária, proibição de faixas e cartazes, e ainda agressões verbais a quem usa a Tribuna Livre.

Professores com má vontade I
Em Jacareí, o vereador Dario Bueno (DEM), criou a maior revolta entre os professores da cidade, região, e mesmo em todo o país. O vereador postou no Facebook críticas sérias aos educadores e confirmou isso em reportagens posteriores atribuindo o fracasso da educação à  falta de vontade dos professores".
Ah! O vereador tem o sugestivo apelido de ?Burro?. Está explicado então?

Professores com má vontade II
As declarações causaram indignação ao diretor estadual do sindicato dos professores, Roberto Mendes, que contra-atacou dizendo que esse mesmo vereador ajudou a Câmara da cidade a votar o reajuste de salário para os vereadores, passando de R$ 5 mil para quase R$ 10 mil. Tudo isso, enquanto tem professor que ganha R$ 1.100 pelo piso nacional.

Vereadores de São José I
Em São José dos Campos, está sendo preparada para o dia 18 de agosto a votação de reajuste para o salário dos vereadores, amento que corresponde a 80%.
Só pra se ter ideia do que vem aumentando o patrimônio de alguns vereadores joseenses, um jornal da região divulgou esta semana que a vereadora Dulce Rita (PV), registrou a maior evolução patrimonial entre os vereadores de São José: 1.236%. Há dois anos, sua declaração e bens chegou a soma de R$ 155 mil. Em 1997, esse valor estava em R$ 11.675,89.

A vereadora alega que herdou um terreno de seu falecido marido, e que ainda não o havia declarado. 

Vereadores de São José II
Outro vereador citado que teve um crescimento abrupto em seu ?pé-de-meia? é Valdir Alvarenga (PSB) que teve crescimento de 983,8%. Sua declaração de bens em 1989 era de R$ 21 mil e em 2005 atinge a R$ 227.690,94.
Outros vereadores também foram relacionados nesse crescimento financeiro, casos de Alexandre da Farmácia (PR) e Dilermando Dié.

Ministério Público em Pinda
O caso Verdurama volta à tona na cidade de Pindamonhangaba com a publicação no site do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo de uma lista com 19 envolvidos em suposto esquema de propina. Entre os nomes citados estão os do prefeito João Antonio Salgado Ribeiro, Paulo César Ribeiro (
cunhado de Alckmin ), Lucas Ribeiro (sobrinho de Alckmin), Marcelo dos Santos, ex-diretor de licitações, e Silvio Serrano, ex-secretário de Finanças.


E vem mais bomba!
O MP está investigando ainda mais dois processos, um que envolve a Verdurama e outro criminal, e pelo que nos chegou, envolve mais pessoas ligadas à Prefeitura de Pindamonhangaba. Sai de baixo que a casa está caindo! (hehehe)

Verde que ter quero ?verdinha?
A Verdurama é uma empresa que já deu o que falar em várias cidades, sempre acusada  por supostos esqueminhas de propina. Em Pindamonhangaba, ela ganhou uma concorrência (?!) em 2006, no valor de quase 7 milhões de reais, para fornecer merenda para as escolas. Nesse período todo, houve até suspeita e denúncia de que os alimentos eram transportados em carros funerários. 

Corre gira!
Em Taubaté, vale aquele ditado: ?Sapo tem boca grande, mas come mosquito!? Enquanto isso, em Pindamonhangaba, os caras são ninjas. Na terra dos barões, a malandragem rouba sardinha usando o rabo do gato!

O gato comeu?
Por falar no bichano, o gato comeu um certo processo criminal que estuda uma certa conta bancária no Bradesco, destinada a um outro certo personagem na história da Verdurama? Pelo que consta em documentos que estão voando por aí, alguém estaria levando  R$ 20 mil limpinhos por mês de propina, pela sua brilhante participação no esquema. Mas também vai babar, pelo que estamos sabendo!

Rumo à Prefeitura
Em outra arena, a disputa pela Prefeitura de Pindamonhangaba já começou faz tempo. Mirian Alckmin começa a colocar as manguinhas de fora e procura entrar na disputa.
Um passarinho nos contou que a vice-prefeita convidou o médico e vereador Dr. Marco Aurélio para ser seu vice em uma chapa, mas o vereador declinou por ser fiel ao amigo e também pré-candidato Paulo Torino.

Disputa pelo PMDB
O partido que antes era tido como renegado, agora virou a ?menina dos olhos? para as disputas em 2012, em Pindamonhangaba. Com Paulo Skaf no comando estadual do PMDB, a legenda estava à deriva por aqui, quase rolando pelos lados dos vereadores Dr. Isael e Cal, que todos sabem, sempre foram aliados de Vito Ardito.
Por que eu digo que estava pelos lados de Cal? Porque a direção regional estava com o ex-deputado Ary Kara. Como muitos lembram, Cal e Ary se destacaram na campanha de 1991, pela emancipação do Distrito de Moreira César.

Torino pegou o PMDB
Foram necessárias várias demandas, mas eis que veio de Brasília, a ordem direta do vice-presidente da República, Michel Temer: "Torino, o PMDB de Pinda é seu!"
Fim de papo! Acabou a brincadeira de uma criançada danada por aqui (kkkk) 

Link do Tribunal de Justiça:
http://2.bp.blogspot.com/-QbgSQ02ri70/TkKhQXmQgrI/AAAAAAAAAFY/vW_uNDO6Ywo/s1600/processo_verdurama.png 

Contato: ocimar@agoravale.com.br

728x90