Coluna Poucas e Boas


 "Tudo, aliás, é a ponta de um mistério, inclusive os fatos. Ou a ausência deles. Duvida? Quando nada acontece há um milagre que não estamos vendo. "

(Guimarães Rosa )
 
Voltei
Boa Noite, gente! A coluna ficou um tempo maior sem ser postada devido à outras atribuições que temos como jornalista. Pode até ser que alguém pense que 'calaram minha boca', ou que me compraram com alguma vantagem...(risos) Não é assim que funciona?
Mas a população pode ficar tranquila. Pretendo nunca decepcionar a imprensa da minha cidade
 
Terra da 'Chica Onça?
Tremembé é uma cidade que cresce mas a política de lá usa de certos artifícios que são um tanto inusitados. Tempos atrás surgiu uma tal 'Chica Onça', um animal de pelúcia que vez ou outra 'aparece' em um determinado local para denunciar alguma irregularidade.
Muito bem! Enquanto é só isso, nada estranho, afinal, o que manda é chamar a atenção da população.
 
Jornal Apócrifo
Entretanto, agora a população tremembeense anda recebendo um certo 'jornal', sem endereço, sem expediente, e que lança uma pá de acusações contra uns e outros da cidade, a maioria, gente ligada à política. Os autores da publicação não imaginam o tamanho do BO que isso pode acarretar se descobrirem quem é que 'edita' esses manifestos.
 
Câmara de Pinda
Estivemos na noite dessa segunda-feira na Câmara Municipal de Pindamonhangaba onde aconteceu a sessão ordinária (no bom sentido). Uma das pautas foi a reclamação dos condutores alternativos que há um ano e pouco assinaram um contrato de prestação de serviços com a empresa de ônibus Viva Pinda para o atendimento no transporte público municipal.
Os reclamantes alegam que a empresa vem notificando de forma irregular vários motoristas, sendo que alguns deles nem estão trabalhando, sob o risco de, em atividade, sofrerem a perda de seu veículo. 
A Dra. Bianca Gallo Azeredo Zannini é quem respondeu pelos motoristas no uso da palavra no plenário.
 
Piorino
Ricardo Piorino, que não é bobo nem nada, já assumiu sua posição ao lado dos reclamantes e lançou inclusive uma sugestão: a de revogar o contrato dos alternativos com a Viva Pinda. Quando falou isso, recebeu uma salva de palmas.
 
Pensando bem
Sei lá se eu estou enganado, mas desconfio que justamente isso é o que a Prefeitura e a Viva Pinda esperam. Revogando-se o contrato de parceria, todos os transportadores voltam a ser clandestinos. Aí meus amigos, é que a 'porca torce o rabo'. E tome Polícia Militar nas estradas para coibir o trasporte irregular de passageiros.
 
Recebemos
A internet esta se consolidando como um dos principais meios de propaganda em um ritmo acelerado. Uma pesquisa recente nos Estados Unidos, divulgada há pouco tempo, comprovou esta tendencia. Apos um monitoramento de três meses, campanhas publicitarias de produtos de varejo na web tiveram mais sucesso do que na televisão. Nesse período, os pesquisadores observaram um aumento de 9% nas vendas dos anunciantes online, contra 8% daqueles que apostaram na TV.
 
Eu já sabia!
Tanto a gente já sabia disso, que aliás, antevendo o crescimento da mídia online, o Portal Pindavale comemora 10 anos de atividade neste ano, ostentando a marca invejável, de 20 mil acessos diários. 
Como diria o saudoso radialista Jota Marcondes no seu programa Matutino Difusora: ?Quem chega primeiro bebe água mais limpa!?
 
Olá Ocimar, tudo bem? 
Parabéns pelo seu trabalho! 
Sou uma das responsáveis pelo Centro Comunitário Nossa Senhora das Graças (Luiz Caloi) que fica entre o Centro Esportivo e Parque São Domingos. Sou residente na rua dos Puris e tenho recebido grande pressão da população com relação a um assunto que já virou polêmica na minha região. 
O povo quer saber se o nosso Centro Comunitário vai ser entregue também ao Sesi ou não???Já fomos informados pela Prefeitura que na planta do Centro Esportivo, ele também faz parte! 
Hoje, ele é muito importante para a comunidade e existe desde outras gestões uma abertura oferecida pelo poder Público para que a população venha usufruir e administrar este espaço. Também água e luz é de responsabilidade da Prefeitura e caso seja transferido, o receio é que o Sesi não nos ofereça mais esta abertura, já que será de responsabilidade dele efetuar o pagamento destas despesas. 
 
Ninguém respondeu
Estivemos, através de outro membro da diretoria,na ouvidoria da Prefeitura em Janeiro e fomos sugestionados a conversar diretamente com o Secretário Arthur Ferreira, este por sua vez estava em reunião, mas por intermédio de outro funcionário,pegou os contatos e se responsabilizou em nos informar do assunto assim que possível. Como demorou o retorno, fizemos outros contatos, mas ainda não obtivemos a resposta.
 
Abaixo Assinado 
A comunidade está organizando um grande abaixo assinado,solicitando a permanência do controle do centro comunitário e junto com o documento, quer iniciar uma manifestação popular ainda mais contundente. 
Na minha posição de responsável pelo local, quero ser a mais sensata possível e evitar este barulho, mas infelizmente perco forças a cada dia que passa, sem que possa dar um retorno ao povo. 
Peço o seu auxílio de imprensa,postando minha carta e se possível fazer contato com a Prefeitura e nos conseguir a explicação tão necessária para darmos continuidade em nossos projetos comunitários. 
Acredito que neste momento, com seu poder de imprensa,possa ser o caminho correto e eficaz. 
 
Muito obrigado pela gentileza e um grande abraço! 
Assinado: Lourdes dos Santos 
 
Reclamação do Distrito
Caro Ocimar 
Quero colocar em sua coluna um protesto a respeito do meu bairro. Moro no residencial Laerte Assumpção, um loteamento muito bonito, mas esquecido por nossas autoridades.
Aqui não existe nenhuma placa de sinalização (transito) em nenhuma das ruas, uma necessidade, tendo em vista as duas avenidas principais que tem um grande  fluxo de carros, ciclitas e pedestres. Já presencie duas colisões com grande danos materiais mas graças ao nosso bom DEUS não houve vítimas. Mas será que nossas autoridades estão esperando que haja vitimas para poder sinalizar? Já estamos fazendo um grande abaixo assinado, mas se não tivéssemos sidos esquecidos depois das eleições garanto que já estaria tudo sinalizado.
 
Ass: Walsimsantos
 
Pisadas de Bola
A Semana Santa passou, mas em nossa caixa de entrada encontramos um manifesto que vem assinado pelo organizador da encenação da Paixão de Cristo e líder da juventude do Grupo Encontro Jesus Agora (JÁ).
Os citados na carta terão o devido Direito de Resposta assegurado, conforme o que regulamenta a Lei de Imprensa. Luis Neves nos enviou esse seu desabafo: 
 
?As Pisadas de Bola com os jovens do Encontro JA.
 
No ultimo dia 02 de abril, o Encontro de Formação Jesus Agora apresentou no Ginásio da Ferroviária, pela 4ª vez consecutiva, a Encenação da Paixão de Cristo, evento este realizado a mais de 20 anos de forma gratuita.
Os 82 jovens que formaram o elenco e a equipe de contra regras apresentaram para o grande publico presente no ginásio uma bela apresentação e para os que acompanham já há alguns anos a mais bonita e emocionante encenação já encenada.
É bonito de se ver a dedicação destes jovens, tanto nos ensaios, quanto em cena, pois foram necessários três meses de ensaio, de muito trabalho na preparação dos cenários e figurinos. Além disso, para proporcionar um espetáculo totalmente gratuito para o publico, os jovens do encontro não mediram esforços para arrecadar recursos próprios para dar a encenação o brilho e os detalhes necessários.
Se por um lado a dedicação e a atenção dos jovens foram grandes, por outro lado duas 'pisadas de bola' com os jovens do encontro não passaram despercebidas pelos organizadores do evento que sentiram indignados com a falta de atitude.
 
Bronca contra o Outdoors
A primeira pisada de bola foi em relação à colocação dos outdoors para a divulgação da Encenação; A Oi Mídia Comunicação do Sr. Gildebrando, além de atrasar a colocação dos três outdoors, fixou um dos cartazes em local errado na Rua São João Bosco (próximo ao Externatinho), diga-se de passagem, um local de difícil visualização, pois fica de lado e somente os pedestres que circulam do outro lado da calçada conseguiam ver. Este cartaz foi acertado de ser colocado centro da cidade próximo a linha do trem no limite da paróquia; Fora isso, além de colocar atrasados os cartazes um dos outdoors, mais precisamente o da rotatória da Expovap foi retirado com quatro dias de antecedência. Comunicado em ambos os erros por telefone e por e-mail o Sr. Gil foi cobrado para solucionar o problema e nem sequer deu retorno do fato e muito menos ressarciu os patrocinadores deste cartaz retirado antes do prazo, o que causou uma indignação por parte da coordenação do encontro e do evento e indisposição junto aos patrocinadores.  Esta falta de atitude e comprometimento levou a coordenação do encontro a tomar a decisão de não mais solicitar os serviços desta empresa.
 
Bronca contra a Prefeitura
Outro fato irritante foi a teimosia do Departamento Jurídico da Prefeitura, que todos os anos quer  cobrar uma taxa para a colocação de cada faixa do evento. Segundo os organizadores do evento, existe uma lei que restringe a colocação de faixas em certos locais na cidade, e a taxa é cobrada, pois várias danceterias para a divulgação de seus eventos fazem muitas faixas. 
Até ai tudo bem, dá pra se entender porque é para que a cidade não fique poluída de cartazes e faixas, algumas até horríveis de se ver. Podemos até dizer que a taxa que este ano é de R$ 28,00 cada é justa para quem irá lucrar financeiramente com o evento. O que não é o caso e nunca foi e não será da Encenação que tem por objetivo evangelizar. A lei é de fazer as pessoas rirem, pois até para divulgar um evento que tem por objetivo evangelizar é necessário pagar, e não para por ai, além de pagar os organizadores tem que colocar e retirar as faixas, e se colocadas em locais errados e não cumprir os prazos está sujeitos a multas. No ano passado tentaram proibir a colocação das faixas até nas grades dos santuários, comunidades e do Centro de pastoral porque estes locais não estavam na lista permitida pela prefeitura.
Só depois de muita reclamação e briga é que o departamento jurídico liberou a isenção da taxa após consultar outros departamentos da prefeitura que por sinal todos os anos ajudam com grande satisfação a encenação com destaque para o pessoal da DSM, Cultura, Saúde, e Comunicação.
Agora passando pela cidade o que mais se vê são faixas da prefeitura em locais que para os demais são proibidos a colocação como a praça Mons. Marcondes, há faixas que são fixadas em postes de semáforo como a Departamento de Transito na rua Dr. Gustavo de Godói, e para este não existe multa, só advertência, mas as faixas continuam lá.
 
Pergunta 
A pergunta que fica no ar, e deixamos claro, não é nada pessoal com o prefeito que ?delega função? é: Porque após eleito o prefeito seu partido fixou várias faixas de agradecimento em toda a cidade  semana depois de sua reeleição, agradecendo o povo e as crianças. Ele ou seu partido desconhecem esta lei que restringe a colocação de faixas? (veja bem esta lei já existia pelo menos nos últimos quatros anos). Será que pagaram pela colocação de cada faixa? E não foram poucas! Se não pagou porque não visa fins lucrativos, porque um evento que também não tem fins lucrativos há quatro anos tem que brigar para se isentar desta ridícula, injusta e abusiva taxa? (Uma faixa simples custa em média de R$ 30,00 a R$ 40,00), e ainda tem que colocar e retirar. 
Quem retirou as faixas de agradecimento do prefeito eleito? Elas apodreceram com o tempo!!! Todo mundo viu!
E os nossos vereadores o que acham desta lei? Não parece ser dois pesos e duas medidas? Será que falta fiscalização no cumprimento da mesma?
É... os jovens além de evangelizar, também sabem denunciar. ?


Contato: ocimar@pindavale.com.br