O que ninguém fala sobre a interdição da ABBC em Pindamonhangaba


  O que deu bom em Pindamonhangaba. A Secretaria de Infraestrutura e Planejamento da Prefeitura continua com o trabalho de revitalização da área adjacente à linha férrea na Rua 7 de Setembro, onde vem sendo construída uma praça de 11 mil m².

A municipalidade recebeu recursos por meio de doação da iniciativa privada e, contrapondo-se às críticas contra cortes de árvores e suspeitas sobre a doação da verba, o novo espaço público já começa a oferecer um novo aspecto à região central.

Vale lembrar que a empresa doadora dos recursos é a construtora Exsa, que tem sede na cidade de Indaiatuba.

Concluímos que a valorização do metro quadrado na região deva gerar novos investimentos da construção civil no entorno da nova praça. Urbanismo é fundamental! 
  Por outro lado, a cidade debate a interdição dos serviços prestados pela Associação Brasileira de Beneficência Comunitária (ABBC) ao Pronto Socorro Municipal.

Em reunião entre a Comissão de Saúde da Câmara e a secretária de Saúde Valéria dos Santos, foram discutidas as anormalidades que a Prefeitura detectou na entidade, entre elas a não prestação de contas junto à administração municipal e falta de documentos e comprovantes de pagamentos a fornecedores e atraso nos salários dos funcionários.

A oposição ao prefeito ataca utilizando o Portal da Transparência do site da Prefeitura e alega que o contrato havia passado por aditamento mesmo sem a devida prestação de contas, inclusive com majoração dos valores. Com a palavra, a municipalidade!

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.