"Passado, ansiedade e futuro, um rio que passa".


O ditado de que a “pressa é inimiga da perfeição”, pra nós creio que não está cabendo tanto. Temos tanta coisa pra fazer ao mesmo tempo, que pra nós “a pressa é a melhor amiga, do atrasado e/ou atrasado”. É cronograma que não acaba mais.

O problema das pessoas é o excesso de atividades em curto período de tempo, gerando ansiedade e estresse. Não tenho tempo, não tenho tempo! É o que mais se ouve, e de fato, não há mesmo! Tempo não existe!

Não existe tempo presente, isso mesmo! Achou que estou maluco? Achou? Então já é passado! Um clique, um piscar, um reflexo, um lampejo, um “enter” e pronto! Virou passado! Já era...

Quando então há o presente? Estamos a milésimos de segundos do futuro e na mesma distância do passado! A um passo o passado do futuro! Passo? Será então que por isso que “passa” tão rápido? E o presente, como fica?

Estou ficando ansioso com tantas interrogações, angustiado de não encontrar respostas convincentes! Muito ansioso!

É isso, a resposta! A ansiedade será o presente!

A ansiedade é tão ágil, rápida, que temos dificuldade em separa-la do futuro, e ao mesmo tempo tão lenta e vagarosa, a ponto de nos aprisionar nas areias movediças do passado.

Ansiedade é igual ao presente? Por isso tão difícil de equilibrá-la, mantê-la situada no devido ponto?

Costumamos oscilar entre o passado e o futuro. Sofremos com intensidade pelo que fizemos ou não (passado), e pelo que ainda faremos (futuro). Sentimos o passado e o futuro com força e intensidade, indo e vindo, como uma valsa que não têm fim, mas em ritmo alucinante.

A ansiedade é nossa amiga mais antiga, companheira sempre alertando sobre perigos, avisando de situações adversas, equilibrando os medos, nos impulsionando pra frente. Importante aliada nas avaliações de risco.

Mas hoje devido ao excesso de atividades, exposições, inseguranças, frustrações, solidão, intolerâncias, políticos, dívidas, a ansiedade se tornou nossa pior algoz, esfregando em nossas frontes nossa fragilidade e pequenez. De tão antiga amiga, se tornou nossa atual e pior inimiga.

É preciso controlar a ansiedade, é o que mais ouvimos, principalmente quando excessiva. Tem gente roendo unha, tomando umas e todas, comprando compulsivamente, em depressão e outros transtornos, cada um na sua medida e peso.
Encontrar o Equilíbrio espiritual, emocional, mental, físico, financeiro, afetivo, parece algo tão distante de nós.

Nossa que confusão que eu arranjei, comecei no presente, que já era passado e futuro ao mesmo tempo, e confesso estou tão ansioso, que não sei onde vamos terminar.

É isso! Quando não há resposta, eis a própria! Só existe o tempo, passado, presente e futuro, é uma coisa só? Espera aí... (tempo pra pensar)! Isto é o que chamamos de eterno. Estou entendendo! Viver com serenidade, apesar das circunstâncias adversas, seria o segredo do equilíbrio. É isso? Controlar ansiedades? Quanto mais fé, acreditar no positivo, mais ansiedade controlada?

Então eu deveria ser como um rio, com margens bem definidas, pontos de curvas, quedas, mas quando você olhasse pra ele, quase não perceberia que a água está corrente, somente ao entrar no rio, sentiria a correnteza, te empurrando, te convidando a ir pra frente, brando e suave?

A ansiedade é o tempo presente, pois não há ansiedade passada, ou futura, a ansiedade está! É estado de espirito, de emocional! Procure sofrer menos pelo passado (acusação), e pelo futuro (preocupação). Encontre o ponto de celebração da vida! Quem alcança este estágio, encontrou o presente, um grande presente!

E aí? Você poderia perguntar: como conseguir este presente? Desculpa, estou tão ansioso, tentando acertar meus passos, que não tenho tempo e condições de responder, ao menos agora! Enquanto isso, como está o rio de sua vida?

Clique para testar seu nível de ansiedade e avaliar seu tempo presente:
http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI296265-17773-4,00-QUANDO+A+ANSIEDADE+E+SUA+AMIGA.html

Boa semana a todos...

Alexandre Faria
Consultor em Gestão de Negócios

anuncio