"O menino, a bola colorida e o baú do tesouro! É carnaval!"


 O menino joga bola de um lado para o outro!  Bola colorida! A bola rola, o mundo gira, na mesma simetria! Tudo no lugar onde deveria estar!

De repente o menino chuta a bola pra longe e sai em disparada atrás dela. Aquele lugar se tornou pequeno, ficar ali o incomoda! Quando volta, parece que não encontrou a bola! Não é mais o menino pelo que parece!

Já faz tanto tempo? Uma vida correndo atrás da bola! Mas a bola se foi, afirma! Fixa então o olhar no mundo, de onde não pode fugir, que igual à bola, continua rodando, girando!

É sempre assim! Roda o mundo, gira, e frente a frente, continuam, o menino e a bola!

Sente então forte arrepio! De cortar o ar! Desperta! Sexta-feira, 13 de fevereiro! Sexta-feira de carnaval! Uau, que susto! Saí do ar!

Sente o colorido passando, girando, a sua frente, como a bola! Identifica com olhar fixo, as cores da infância: alegria, simplicidade, energia, liberdade! Solta o sorriso! E no ritmo do sorriso, o menino, ouve o repicar de surdos, tamborins, reco-recos e pandeiros! É carnaval! Por um breve instante, volta à infância, embora nunca tenha deixado o menino! Recorda, como filme!

Um presente! Oba! Da hora! Uma máscara! Um pirata! “Ué”? É pirata mesmo! Só tem buraco no olho! Caolho, perneta, mas sempre em busca do baú do tesouro perdido!

E saí correndo o menino, navegando no mar de imaginação e prazer! Vai procurando o tesouro, que na verdade, sempre esteve com ele! E canta: “Eu sou o pirata da perna-de-pau, do olho de vidro, da cara de mau.“ Mau? Que mau? O menino que dança nas nuvens de alegria! No céu de satisfação, não poderia ter mal! Poderia ?É interrompido, bruscamente! Cai então das nuvens, quando grita sua mãe! “Menino, brinca bastante, se diverte, mas é só até terça-feira, pois na quarta-feira (De Cinzas), não pode mais usar a máscara é pecado! Pecado? Deus não vai gostar e, se usar, vai nascer rabo e chifres em você!” Mas o menino nem deu contas.

E assim foi de sexta até terça-feira de carnaval, diversão, alegria, folia! Parecia que seria eterno! Passou rápido! Uma vida, num girar de bola!

O menino acordou na quarta-feira (De Cinzas), olhou de um lado, do outro, não viu mais a máscara! Não estava ali, foi recolhida, escondida!

O menino cresceu, virou gente grande! É por isso que todo ano, no tempo entre a Quarta-feira de Cinzas e a Sexta-feira de Carnaval, o menino, não podendo usar a sua máscara de “menino pirata”, então usa máscaras imaginárias, que somente ele sabe quais são! As usa escondido, na busca contínua do baú do tesouro perdido, percorrendo o girar do mundo, como a bola colorida, aquela, registrada na foto antiga de “binocrinho” (alguém se lembra?)!

E quanto ao rabo e os chifres? Ora! O rabo, diz o povo, não se deve deixar pra trás! E os chifres? Ora! Isso é coisa da sua cabeça! Rsrsrs (Risos)!

Bom Carnaval! Divirtam-se, sem moderação, mas com responsabilidade, pois é possível! “Eu sou o pirata da perna-de-pau, do olho de vidro, da cara de mau!...”

O mundo precisa de Poesia! Feliz Aniversário Krika!

http://preteritosmatinais.blogspot.com.br/

 

Alexandre Faria

Consultor em Gestão de Negócios

anuncio