"Com lacinhos"...


Em última análise, tudo se resume em amarras...

Estamos amarrados nas próprias convicções, nas escolhas que fazemos, nas falas impostas, nos silêncios oportunos...  Escravizou-se o tempo em minutos e tudo virou horário, pontualidade e atrasos. O imediatismo e a fragilidade das coisas configuram o descartável, e tudo é obsoleto, ultrapassado, velho... Aos 30 já somos velhos, aos 50, melhor nem comentar. Mesmo em face do botox, da vida siliconada... Sem rugas, sem flacidez e, às vezes, sem expressão também. Modismos e convenções dominam as mentes modernas, contemporâneas... As amarras!

Mas, nem toda amarra nos prende, às vezes só embala, envolve, protege, orienta, conduz e seduz na delicadeza, nas sutilidades, nos olhares falantes, discretos, insinuantes, convidativos, benéficos, cúmplices... sim, cumplicidade nas amarras é tudo! Amarras da felicidade, sem receitas, nem promessas, amarras perfeitas, na mais perfeita imperfeição, amarras em fitas de seda branca, amarras com lacinhos.  São as amarras que buscamos nas parcerias afetivas, nos amores, nas amizades sinceras, nas parcerias comerciais, profissionais e por aí vai...

Encerramos 2014, quem sabe soltando amarras, quem sabe apertando outras, desatando nós, libertários de nós mesmos; e que venha 2015 nas fitas douradas perfeitas ou equivocadas, para que possamos acertar mais vezes, aprender com os nós desatados, para que o tempo seja testemunha ocular, auditiva e silenciosa das nossas travessias...

Feliz 2015!!

Krika
Escritora (http://preteritosmatinais.blogspot.com.br)

anuncio