"Chapeleiro Maluco e o Natal"


"Você está parecendo o Chapeleiro Maluco!” Foi uma das frases que ouvi recentemente de meu filho, após encerrar um pensamento, durante um bate papo em família, logo após o almoço!

Isso me chamou a atenção! O Chapeleiro Maluco, personagem do Conto de Fadas Alice no País das Maravilhas, do escritor Lewis Carrol (1864), matemático inglês que abusava de enigmas em seus escritos, foi inspirado nos “malucos da época, porque eram chapeleiros”, ou seja, os fabricantes de chapéus se expunham ao uso do mercúrio nas fábricas, substância alucinógena que os levava às fantasias e delírios. Uma das passagens que me recordo desse Conto, uma das boas ideias do Chapeleiro, é quando sugere que todos os dias deveria se comemorar o “Dia do Desaniversário”, tendo assim um bom motivo para celebrar a vida todos, e isso junto com o Coelho Branco, outro personagem incrível e nada normal.

Por falar em ideias e opiniões, você já percebeu, que as nossas ideias, opiniões, só servem pra nós mesmos (afinal são nossas, de cada um)?

Atrevo-me a dizer que considero “maluco” quem se propõe a dar ideias, opiniões e sugestões esperando que sejam aceitas e postas em prática, especialmente nos dias atuais.

Uma sugestão, opinião, conselho, para ser seguido pelo outro, depende de que seja tomado como propriedade desse outro, ou seja, a partir do momento que o sugerido passe a fazer parte desse outro. Isso é difícil acontecer, porque cada um tem a sua verdade, e vive agarrado nela!

Por outro lado é constatado que o ser humano segue, aprende, não por ensinamento, mas pelo exemplo dado! Ideia, sugestão, opinião, conselho, poderá até ser levado em conta, se e, somente se, for acompanhado do exemplo.

“Conselho só é bom pra quem dá”, penso eu! há! há! há (gargalhada), pode ser também: rsrsrs, ou kkk!

Mas, olha que maravilha! Estamos na semana do Natal, é algo contagiante, o brilho nas luzes, brilho das pessoas! Desejos de paz, felicidade, vontade de presentear, consumir, ficar bonito, feliz! Tempo também de exercer a caridade, acolher, ajudar quem precisa...

Nossa, por que não pensei nisto antes! Na boa ideia do Chapeleiro? Celebrar o natal todos os dias! O “Dia de Desnatal”! Reunir a família, amigos, correria de última hora para comprar o presente que sempre falta, enfeitar árvore, montar o presépio, abraços de felicidade, celebrar a vida, a esperança, a paz, o nascimento de Jesus (afinal é natal)...

Cheguei à conclusão: “De Chapeleiro Louco (Maluco), todo mundo tem um pouco”...

Acreditamos que as pessoas podem ser felizes, que o mundo de cada um e de todos pode ser melhor, bom, “vivível” e sustentável! Que é possível partilhar emoções, vidas, viver a simplicidade e a humildade do “espirito da manjedoura”!

Feliz Natal! A todos, especialmente aos deste portal e a você, que visita e lê esta humilde e despretensiosa coluna! Obrigado sempre!!!

Pense o que quiser! Faça o que achar que deve, afinal a “felicidade é um problema de cada um”! Um bom começo é passar pelo caminho da Manjedoura, aquela lá, de Belém!!!  É só uma ideia...

Que Maluco!!! Há! há! há (gargalhada)! Rsrsrs, ou Kkk! Curta! Compartilhe! É Natal!

Alexandre Faria
Consultor em Gestão de Negócios

 

Agradecimento especial ao Amigo Mauricio Pereira, escritor, ilustrador e contador de causos, pela obra de ilustração deste artigo, “Chapeleiro na essência”:

Visite: http://mauricio-pereira.blogspot.com.br/

anuncio