Cada um com sua panela! Ou será, cada panela uma sentença?


Em 2001, estávamos a trabalho na Argentina, mais precisamente na cidade de Buenos Ayres, quando da renúncia do então presidente Fernando de La Rua! Presenciei ali, pela primeira vez um “panelaço”! Confesso que ficamos assustados com a violência, carros incendiados, pedras, saques e muitas panelas amassadas pela Cavalaria, que partiu pra cima da população, não respeitando mulheres idosas principalmente.

O que se observa nesses últimos anos, depois do ocorrido, é que toda aquela movimentação, que mudou o governo argentino, pouco adiantou, pois a forma de governar continua a mesma ou até pior.

Aqui no Brasil, realmente, algo tem que ser feito, precisa! O que preocupa é que toda estrutura injusta, corrupta, sempre tem seus beneficiados! Tudo que temos hoje é interessante para alguns grupos, isto é certo!

Tenho conversado com as pessoas, acompanhado a imprensa, escrita, falada ou televisiva, internet e nunca na história do Brasil se viu tanta mobilização para tamanho descontentamento.

Estamos indignados e não é porque “perdemos o voto nas últimas eleições”, é muito mais do que isso, é difícil aceitar tanta impunidade! Tanto cinismo e delação premiada, e o pior, não sabemos onde isso vai parar ou se vai parar!

A corrupção escancarada aos nossos olhos, confissões ao vivo, transmitidas via satélite! Enquanto uns relatam (ou delatam) os crimes e apontam responsáveis, outros fingem nada acontecer. É preciso mais que “paciência”!

Dolorido é ver esses corruptos com apoio de pessoas a balançar entusiasticamente suas bandeiras, como que pertencentes a uma “torcida organizada”, para a qual o importante é o time ganhar, mesmo que seja roubando!

É a falência das instituições (governo, privadas, terceiro setor) e principalmente dos partidos políticos, que mesmo agonizando, observam atentos para tirar o que puderem de proveito deste mar de lama e sujeira em que mergulhou nosso imenso país, verdadeiros urubus necrófagos de uma sociedade na UTI.

Universitários dormindo na fila do FIES, porque o governo restringiu financiamento, crise na educação, do fundamental às Universidades, saúde precária, mobilidade urbana zero, segurança péssima e por quê? A causa de todos os males é o sistema corrupto que se instalou e se institucionalizou no país.

Os recursos estão aí, sempre estiveram!

É triste ver o “pseudo” programa social do governo (as tantas bolsas), que defendemos e que deveriam trazer a libertação da miséria, mas que, na verdade, só vieram aprisionar ainda mais o pobre povo nas teias deste sistema corrupto, a ponto de ambos se manterem nele, numa conivência, senão consciente, muito eficiente.

Sempre defendi: acreditar em si, na sua força, acordar cedo, ser honesto, estudar e se aprimorar, fazer o bem, buscar ser o melhor a cada dia, ser otimista, acreditar sempre que é sozinho, que a vida é resultado das nossas ações e crenças! Confesso ainda acredito e expresso neste espaço de Coluna, nas salas de aula, por onde passo! Mas está difícil...

Voltando à experiência do panelaço argentino, é o velho ditado popular: “cada cabeça uma sentença”, ou seria “cada panela uma sentença”? Membros do governo estão pregando que o panelaço no Brasil é o confronto da panela da elite contra a panela dos pobres. Será? Não acredito! E mais! É ridículo...

De qualquer forma, paro pra tentar pensar e entender! Do jeito que está não pode ficar! Mas e aí, de qual lado devo bater minha panela? Deveria ter lado? Não sou da elite, muito menos um miserável! Mas é certo, todos sofremos do mesmo mal? A corrupção institucionalizada?

Cuidado com esta conversa de muitos anos no Brasil, desde o Golpe do Estado Novo (1937), de que: “futebol, religião e política, não se pode discutir, ou mudar”, é conversa muito “fiada”! É justamente pra você ficar onde está, parado, estagnado! Sem perceber você está a brigar e a “intolerar”, se preciso, tudo pra se manter e ficar na mesma posição! “Posição”?

Eu acredito na mudança, de verdade! E você?

Se para caminharmos com justiça, igualdade de oportunidades e bem estar pra todos, for preciso mudar de “time, religião e partido”, que seja! Eu mudo! E você? Vamos juntos?

Mas será possível? Afinal fomos formados assim, e você dirá: “cada um com sua verdade, sua sentença”...

Confesso, relutei muito pra escrever este artigo! Mas, ufa! Afinal, “cada um com sua panela”, ou será, “cada panela uma sentença”? Vai Ministério Público!!!

Boa Semana!

Alexandre Faria

Consultor em Gestão de Negócios

anuncio